quinta-feira, 22 de março de 2018

Trens reformados em 2007 por R$ 21 milhões cada estão sendo desmontados. CPTM diz que sairia caro modernizar


Apenas cinco anos depois da reforma duas composições foram paradas por apresentarem defeitos

ADAMO BAZANI

Dois trens da série 5500, que prestavam serviços na linha 12 Safira (Brás – Calmon Viana) e foram reformados em 2007 por cerca de R$ 21 milhões cada (valor da época) estão sendo desmanchados em pátios da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos.

Imagens e vídeos que circularam em redes sociais mostram as composições inutilizadas e já sem várias peças no Pátio Ceasa, da CPTM.

Os trens fazem parte de um lote que foi reformado a partir de 2007 pelo consórcio BT Brasil, formado pelas empresas Bombardier e Tejofran.

A licitação foi realizada em 2005, durante a primeira gestão do governador Geraldo Alckmin, e este consórcio foi considerado vencedor para reformar três composições no valor total de R$ 61,5 milhões.

Entretanto, houve um aditivo para a inclusão de mais um trem, o que elevou o valor do contrato para R$ 83,2 milhões.

Diário do Transporte apurou que o processo de desmonte destes trens começou no início do mês passado.

Segundo funcionários da CPTM ouvidos pela reportagem, que pediram para ter o nome preservado, após a reforma, as composições apresentaram uma série de problemas que impediram a operação dos trens por longos períodos.

As declarações coincidem com uma reportagem do Portal R7, da Rede Record, de 25 de abril de abril de 2014, mostrou que duas composições desta série, com reformas realizadas entre 2007 e 2009, estavam paradas e que não havia, na ocasião, peças de reposição para as unidades.

Reformas ocorreram em 2007, mas segundo funcionários, composições apresentavam problemas

Em nota ao Diário do Transporte, a CPTM informou que as composições, fabricadas em 1979, foram baixadas e leiloadas. O desmonte ocorre para a retirada pelos compradores.

Na nota, a companhia de trens de São Paulo ainda afirmou que cada composição mais de 4,5 milhões de quilômetros após a reforma e que os trens ficaram obsoletos.

Ainda segundo a companhia, modernizar as composições para o atual padrão da rede de serviços sairia caro e não seria viável economicamente.

Confira a nota na íntegra:

A CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) está modernizando e renovando toda a sua frota. Os trens da série 5500, fabricados em 1979, foram baixados do patrimônio e leiloados. Cada composição rodou mais de 4.500.000 km após a reforma, colaborando para aumentar a oferta de lugares na Linha 12-Safira, onde prestavam serviço, porém ficaram obsoletos.

Uma nova adaptação desses trens para o padrão atual da frota da Companhia, com ar condicionado, câmeras, softwares modernos, sistemas de comunicação, acessibilidade e outros, seria técnica e economicamente inviável. Após o leilão, eles foram desmontados para serem retirados pelos compradores.

Todos os trens antigos estão sendo substituídos por novas composições dos contratos de fornecimento em andamento. Elas contam com recursos tecnológicos e de acessibilidade, além de serem equipadas com tecnologia de ponta, ar-condicionado, sistemas de informação audiovisual (monitores de vídeo e displays) e de sinalização de abertura e fechamento de portas e câmeras internas e externas de segurança.

Desde 2006, o Governo do Estado adquiriu 178 novos trens para a frota da CPTM, dos quais 140 estão em operação.

Diário do Transporte – 23/03/2018

Nenhum comentário: