quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Falha em trens do ABC (SP) vira alvo de investigação do MP


Promotoria aponta possível problema nos trilhos entre as estações Capuava e Mauá; CPTM diz que há segurança.
O Ministério Público de São Paulo abriu inquérito civil na última quarta-feira para investigar suposta falta de manutenção e riscos de acidentes na linha 10-Turquesa da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), que liga Rio Grande da Serra ao Brás, na capital, passando por Ribeirão Pires, Mauá, Santo André e São Caetano.
A promotoria iniciou a apuração após representação formulada pelo deputado estadual José Américo (PT), que acusava a estatal de não tomar providências para resolver diversos problemas nas suas linhas de trens, provocando, assim, “desconforto aos usuários do sistema público de transporte”.
Segundo a promotoria, entre as estações Capuava e Mauá, ambas na mesma cidade, o trem reduz a velocidade de 90 km/h para 20km/h porque o trilho é antigo e deve ser substituído.
“Os fatos (…) descritos podem representar ofensa aos princípios administrativos constitucionais da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência, além da honestidade, imparcialidade e lealdade às instituições e de outros da administração pública, e constituir atos de improbidade administrativa”, diz o inquérito aberto pelo Ministério Público.
A CPTM tem 30 dias, a partir da abertura da apuração, para apresentar informações sobre quais providências foram tomadas em relação à redução da velocidade dos trens no trecho entre as estações Capuava e Mauá.
Levantamento feito pelo Metro Jornal com base nas publicações da companhia no Twitter mostra que de 1º de janeiro até terça-feira a linha da região teve 34 casos de velocidade reduzida dos veículos ou circulação paralisada parcialmente por contas de problemas operacionais – a média é de uma falha a cada dois dias em 2018.
A CPTM informou que a manutenção permanente da linha que passa pelo ABC está sendo realizada com equipe própria porque o contrato com empresa terceirizada para o serviço foi encerrado por decisão da empresa contratada, mas que os operários da companhia são capacitados para garantir a segurança operacional.
‘Ferrovia é altamente segura’
A CPTM informou que está colaborando com as investigações do Ministério Público, “fornecendo todas as informações que comprovam que a ferrovia é altamente segura”.
Segundo a companhia, a Linha 10-Turquesa recebeu nos últimos dois anos investimentos de R$ 35,8 milhões em obras. A estatal diz ainda que a subestação de Mauá foi modernizada e recebeu novos equipamentos.
Além disso, a CPTM argumenta que a frota que atende a linha está recebendo trens mais modernos e que foi beneficiada com o Expresso ABC, entre as estações Prefeito Celso Daniel-Santo André e Tamanduateí, em 2016.  

Jornal ABC – 28/02/2018


Nenhum comentário: