terça-feira, 28 de novembro de 2017

Greve: Metrô do Distrito Federal abre 18 das 24 estações nesta segunda-feira

Sindicato e Metrô/DF cumprem determinação da Justiça e mantêm 75% das estações e dos trens em funcionamento. Greve dos metroviários chega ao 19º dia. Tempo de espera chega a 12 minutos nas estações depois de Águas Claras.
Conforme previsto, 18 das 24 estações do metrô estão abertas na manhã desta segunda-feira (27/11), 19º dia de greve dos metroviários. Permanecem fechadas durante todo o dia as estações 102 Sul, Asa Sul, Concessionárias, Guariroba, Ceilândia Norte e Samambaia Sul.

Até as 8h45, quando termina o primeiro horário de pico, o tempo de espera entre os trens varia de seis a 12 minutos, a depender da linha. Quando não há greve, a demora é de três minutos e meio a sete. Depois, até as 16h45, as espera chega a 36 minutos nas estações depois de Águas Claras.

O efetivo maior volta no segundo horário de pico do metrô, entre as 16h45 e as 19h30. Depois disso, somente três trens circulam entre as estações, levando o tempo máximo de espera a até uma hora.

Fora dos horários de pico, as estações 108 Sul, 114 Sul, Feira, Arniqueiras, Taguatinga Sul e Centro Metropolitano fecham para embarque. Passageiros podem, no entanto, desembarcar nessas seis paradas.

Ainda não há previsão de acordo entre o Metrô/DF e o Sindicato dos Metroviários (Sindmetrô), que pede o cumprimento de uma série de exigências como a contratação de novos funcionários e reajuste. Na quinta-feira passada (23/11), o Tribunal Regional do Trabalho da 10ª Região (TRT/10) obrigou as duas partes a garantirem, ao menos, 75% do efetivo em operação nos horários de pico e 30% nas demais horas.
Vias liberadas até o fim da greve
As faixas exclusivas para ônibus na EPTG e da EPNB estão liberadas para os demais veículos até o fim da greve. O Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER/DF) anunciou, na semana passada, que vai ampliar a liberação até o metrô voltar a circular normalmente. 

As duas vias ligam a zona Oeste do Distrito Federal até o Plano Piloto. Cidades como Águas Claras, Taguatinga, Ceilândia e Samambaia, abastecidas por ambas as pistas, são as mais dependentes do funcionamento do metrô.


Correio Brasiliense – 27/11/2017

Nenhum comentário: