sábado, 7 de outubro de 2017

Metrô de São Paulo aumenta receita com publicidade e lojas nas estações


Em 2017, o Metrô de São Paulo vai superar a meta anual estipulada para a arrecadação com as receitas não tarifárias, aquelas receitas provenientes por exemplo da exploração dos espaços publicitários e das 84 lojas abertas dentro das estações.
Essas receitas, chamadas tecnicamente de "acessórias", chegarão a R$ 200 milhões neste ano segundo o presidente do Metrô, Paulo Menezes Figueiredo. A previsão inicial era arrecadar R$ 194,9 milhões em 2017, ante os R$ 171,8 milhões do ano passado.
As receitas acessórias, que incluem também locações e concessões de áreas (incluindo o espaço aéreo), já representam 10% da receita global e ajudam a manter o equilíbrio econômico-financeiro da companhia, informa o executivo.
Neste semestre, o Metrô assinou a concessão da exploração publicitária em 52 estações das linhas 1 (Azul), 2 (Verde) e 3 (Vermelha) para a empresa multinacional JCDecaux. A expectativa é obter um aumento de 50% na receita anual de publicidade a partir de 2018. Pela concessão, o Metrô vai receber R$ 51 milhões, de remuneração inicial, e outros R$ 2,75 milhões mensais, por 10 anos.
O contrato prevê também um investimento de R$ 20 milhões em modernização do inventário do Metrô. No vídeo abaixo, o presidente do Metrô estima que as receitas acessórias possam representar, no futuro, até 15% da receita total da companhia.
R7 – 07/10/2017

Nenhum comentário: