segunda-feira, 4 de setembro de 2017

Veja como serão os trens da Linha 13-Jade, que atenderá o Aeroporto de Guarulhos


Fornecidos pelo consórcio Temoinsa-Sifang, composições serão entregues em 2019 e contarão com bagageiros para passageiros do aeroporto.
Após uma longa análise, o contrato para fabricação de oito trens destinados à Linha 13-Jade da CPTM foi assinado na sexta-feira (01) pelo governador Geraldo Alckmin. As composições serão as primeiras de origem chinesa usadas na empresa e contarão com alguns diferenciais em relação ao restante da frota como os bagageiros destinados sobretudo aos passageiros originários do Aeroporto de Guarulhos.
A CPTM divulgou algumas ilustrações desse novo trem, cuja denominação interna ainda é um mistério. A maior novidade será mesmo o espaço para bagagens, instalado nas laterais dos vagões no lugar de um assento. Antes se imaginava que esses bagageiros ficariam sobre os bancos como se vê em outros sistemas. As projeções também mostram uma novidade, o botão de abertura das portas, um recurso usado em alguns sistemas como o parisiense. Com ele, as portas abrem apenas quando há passageiros entrando ou saindo do trem.
Os novos trens deverão ser entregues em até 23 meses, ou seja, a data limite seria por volta de agosto de 2019 quando a Linha 13 já estará em operação plena. Enquanto isso, segundo a CPTM, serão usados trens da Série 8500 u8 9500 que estão sendo entregues no momento para as Linhas 7 e 11 – antes existiam rumores que a Série 9000 faria esse serviço de forma provisória.
A nova série, a ser fabricada pelo consórcio Temoinsa-Sifang será equipada com todos os equipamentos de sinalização existentes na CPTM, o ATC, ATO e o CBTC, que ainda não é usado em nenhuma linha. O financiamento para a fabricação virá do Banco Europeu de Investimento, que disponibilizou 85 milhões de euros (R$ 317 milhões) para o projeto. O custo total dos oito trens será de R$ 316.720.807, segundo o governo.
4º aeroporto do país a ser interligado a um sistema ferroviário
A licitação para os trens da Linha 13, que ligará o Aeroporto de Guarulhos à rede metroferroviária, foi lançada em janeiro de 2016 e aberta em março do ano passado. O vencedor, no entanto, só foi revelado nos últimos dias de 2016, após longa análise pelo BEI. A novidade foi o consórcio chinês desbancar a espanhola CAF e a coreana Rotem, que têm fornecido os trens para a CPTM nas últimas licitações. As duas entraram com recursos contra o resultado dias depois do anúncio que só foi negado em agosto passado, permitindo que enfim o contrato pudesse ser assinado.
O governador Geraldo Alckmin, em mais uma frase eleitoreira disse que Guarulhos “será o primeiro aeroporto da América do Sul interligado ao sistema ferroviário”, esquecendo-se ou ignorando que os aeroportos Salgado Filho (Porto Alegre) e Guararapes (Recife) já são conectados à linhas ferroviárias há bastante tempo. O primeiro, inclusive, possui aquilo que a concessionária GRU Airport prometeu e não vai cumprir, um people mover, que leva os passageiros da porta do terminal até a estação da Trensurb.
A aeroporto paulista corre o risco de nem ser o terceiro da lista afinal Salvador deve abrir uma estação de metrô próxima do aeroporto Luiz Eduardo Magalhães na região de Lauro de Freitas ainda em 2017.
Metro/Cptm – 03/09/2017
Comentário do SINFERP

Gozado: em passado nem tão distante,  o ex-secretário dos Transportes Metropolitanos, ao ser criticado por comprar trens dos mesmos, enquanto o  Metrô do Rio comprava composições bem mais baratas da China, afirmou, na Assembleia Legislativa, que o governo Alckmin iria prestigiar a indústria ferroviária paulista e não facilitar a exploração da mão de obra chinesa, motivo do baixo preço das composições. Quanto as datas, vamos esperar para ver, não é?  Oito trens, com oito carros cada, custará R$ 289.971.200,00, e mais "sobressalentes" (sic) no valor de R$ 28.749.607,00, Data base de preços em abril de 2016. 

5 comentários:

Luiz Carlos Leoni disse...

Interessante esta afirmação de que o aeroporto de Cumbica sera o primeiro a ter esta integração com o aeroporto, não se poderia esperar tamanho desconhecimento de quem já postou que o monotrilho de São Paulo é o primeiro do Brasil esquecendo os de um shopping no Rio, e aquele de Poços de Caldas que não funcionou até hoje, esta la o esqueleto de testemunha como atração turistica!!!

Fazer transbordo em engº Goulart com bagagens, ninguém merece.

Anônimo disse...

O trem da CPTM chegará apenas ao terminal 4, o de menor movimentação pois a concessionária não permitiu que fossem construídas estações nos terminais 1 e 2, de maiores movimentações, sob alegação de que um shopping seria construído no local e que um monotrilho seria construído para ligação dos terminais. No fim o nem sequer oonotrilho foi construído e a ligação será feita por ônibus. Mais uma vez o privado em detrimento do público para "frustração" dos ferro-fãs chapa-branca e privateiros. A CPTM deve realizar algumas viagens saindo do Brás pois como foi dito no comentário, sair de Engenheiro Goulart seria muito complicado, já basta esta liga não servir o centro de Guarulhos.

SINFERP disse...

Excelentes lembranças e considerações, de ambos. Ah, incluímos os preços em nosso comentário. Serão TUes da Série 3500. É mais um episódio da farra com dinheiro público.

Luiz Carlos Leoni disse...

Prezados,

Boa explanação sobre o tema, porém não é uma boa solução este transbordo em engº Goulart, ainda tendo que pegar outro ônibus se tornara ainda pior, não sei se terá muito interesse.

Quanto a chegada a Guarulhos, por ser o município mais populoso do Brasil segundo o IBGE, entendo ser o prolongamento da linha 2-Verde a mais adequada que qualquer outra da zona Leste.

SINFERP disse...

E lembrar que Guarulhos já esteve ligada por trem de passageiros a São Paulo...