sexta-feira, 21 de julho de 2017

Dia 01/08 é greve no Metrô e CPTM: Da falsa "modernização" ás licitações fraudulentas.


Trabalhadores do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) marcam greve para o dia 01/08. O projeto de ataques aos direitos trabalhistas, começa a todo vapor em SP. Na CPTM querem cortar os salários dos funcionários, se apoiando em uma decisão judicial que diminuiu o aumento dado a categoria na campanha salarial de 2011. No Metrô o processo de terceirização avança descaradamente. Só resta a essas duas categorias ameaçadas de serem extintas, resistir.
A direção do Metrô de SP, seguindo as diretrizes do governo Alckmin, promete terceirizar todas as bilheterias das estações. Já começaram na linha 5 e pretendem expandir para todas as linhas.
Sob um discurso de modernização, querem trocar trabalhadores do Metrô, por trabalhadores que ganham 3 vezes menos, com uma jornada de trabalho maior e menos direitos.
Não é de hoje que o PSDB promove um desmonte no transporte sob trilhos de SP. Há muitas décadas no poder, terceirizam e privatizam serviços, entregando o transporte para as empresas que financiam suas campanhas eleitorais. A linha 4 amarela é o exemplo mais acabado de como entregar o serviço público para empresas amigas, que dão gordas contribuições para as campanhas eleitorais do partido.
Entre cartéis, obras atrasadas, superfaturadas e denúncias do MP, o governo de SP passa ileso. Continua seu esquema de "modernização", as custas do suor do trabalhador e do rebaixamento de seus salários e direitos. Contando com a conivência da justiça Paulista, os tucanos se sentem livres para seguir com seus esquemas espúrios e fraudulentos, afim de financiar sua hegemonia na política Paulista.
A venda de bilhetes do Metrô é um negócio milionário. Um flanco que os parasitas do estado, os monopólios e os políticos burgueses, não podiam deixar passar. Pois rende grandes fortunas para os empresários amigos, que contribuirão com quantias generosas para o PSDB conseguir fazer bastante propaganda enganosa, elegendo seus políticos no estado.
Ao invés de contratar mais funcionários efetivos do Metrô, vão usar esse dinheiro para a corrupção. Colocando uma empresa terceirizada, que paga 1 salário mínimo para seus funcionários. A diferença do salário que viria para o trabalhador, vai para o bolso dos corruptos.
E não para por aí. Assim como o governo corrupto e golpista de Temer, quer fazer com os trabalhadores do Brasil inteiro, diminuindo seus salários e direitos através da reforma trabalhista, Alckmin, em SP, se prepara para dar saltos e privatizar todo o Metrô. Um negócio bilionário que vai precarizar a vida do metroviário, diminuindo a qualidade já questionada do serviço prestado. Afinal de contas, uma empresa privada trabalhará com menos funcionários, com jornadas maiores e salários menores, atingindo em cheio a qualidade do serviço prestado a população.
É necessário dar uma resposta à altura, para esses políticos e empresários corruptos. Não aceitaremos mais as negociatas feitas pelas costas dos trabalhadores. Negociatas que custam nossas vidas, que colocam o lucro e o poder de poucos a frente da qualidade de vida da maioria da população.
Precisamos de um transporte público, de qualidade e acessível a todos. É necessário a mobilização popular, para barrar a privatização e estatizar todo o transporte, sob controle dos trabalhadores e usuários.
Os metroviários precisam organizar uma grande greve, junto a outras categorias do transporte. Não podemos aceitar a traição da maioria das centrais sindicais, que limitaram as greves gerais do dia 15/03 e 28/04 a 1 dia, e boicotaram a do dia 30/06. Precisamos parar a cidade e levantar uma grande mobilização nacional, contra as reformas do governo golpista de Temer e as privatizações de Alckmin.
Tomar as greves em nossas mãos, para garantir que nenhum direito aos trabalhadores seja tirado. Estatizar todo o transporte, sob controle dos trabalhadores e usuários, é a bandeira que nós metroviários, ferroviários e rodoviários, precisamos levantar no Brasil inteiro.
Garantir um transporte digno! Garantir nossos direitos trabalhistas! Derrotar os corruptos! Precisamos nos organizar e parar a produção! Nós podemos e devemos! Nossas vidas valem mais que o lucro deles!
Mundo Operário – 21/07/2017
Comentário do SINFERP
Bem, essa informação é de metroviário de São Paulo. A ver se de fato acontece.

Nenhum comentário: