quinta-feira, 22 de junho de 2017

Metroviários de SP resistem à privatização da Linha 5 com ato dia 24/06 no Capão Redondo


Em resposta ao avanço no plano de privatização do Metrô pelo governador Geraldo Alckmin, que atinge agora as Linhas 5 e 17, o sindicato dos trabalhadores do Metrô está convocando um ato político-cultural no próximo sábado, 24, em frente à estação Capão Redondo às 14h.

O Esquerda Diário se junta à convocação desse ato pela importância de se lutar contra a privatização do Metrô, que já começou com a Linha 4 e agora se expande. Na Linha 5 as bilheterias serão entregues à empresa Liderança, e o leilão da privatização das linhas 5 e 17 está marcado para começar no próximo dia 4.

"A investida dos patrões sobre os nossos direitos, como no caso da reforma trabalhista, fortaleceu o projeto do Alckmin de privatização, tanto que a direção do Metrô aprovou uma licitação que terceiriza as bilheterias do Metrô em que o salário ofertado pela empresa Liderança é três vezes menor do que o contrato pago pelo Metrô. Por isso, precisamos ligar a luta contra a privatização com a luta contra as reformas de Temer. Este ato do dia 24 precisa ser um passo para fortalecer a Greve Geral no dia 30, mesmo com a vacilação das centrais sindicais, tomando a greve nas nossas mãos. Foi com essa perspectiva que o Movimento Nossa Classe panfletou na Linha 5 o nosso material da campanha de Tomar a greve geral nas nossas mãos.", disse Marilia, demitida política e diretora do Sindicato dos Metroviários pelo tráfego da Linha 3.

Mundo Operário – 22/06/2017

Nenhum comentário: