sábado, 3 de dezembro de 2016

Transporte público: CPTM registrou 66 casos de assédio sexual em 2016


Na semana passada, a divulgação de um vídeo do flagra de um homem encostando o pênis em uma passageira em um trem em Osasco chocou os internautas. Casos como este não são raros no transporte público. De acordo com a CPTM, este ano já foram registrados, até outubro, 66 casos de assédio no trem. Já o site de estatísticas Fiquem Sabendo aponta que, entre janeiro e setembro, a polícia registrou 142 casos de assédio no transporte sobre trilhos.

“Já sofri assédio no trem e ônibus. Foi constrangedor, eu gritei e a desculpa era que estava cheio. Sinceramente, não sei o que passa na cabeça de uma pessoa que faz isso, acho que é falta de caráter”, afirma Paloma Alves Pereira, moradora de Barueri.

Valescka Rosa, moradora de Osasco, diz que “é uma situação constrangedora e às vezes você não tem voz. Hoje melhorou com os serviços de denúncia. Mesmo assim, por vergonha as pessoas não falam, mas se a gente fica quieta o problema persiste”.

Durante a campanha mundial dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres, que termina em 10 de dezembro, a organização ActionAid divulgou um levantamento no dia 25 e apontou que 87% das mulheres brasileiras que vivem em áreas urbanas já foram assediadas.

Em outro levantamento da organização, 68% das entrevistadas declararam que o transporte público é o local onde sentem mais medo do abuso.

Visão Oeste – 02/12/2016

Nenhum comentário: