sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Moro ignora pedidos do governo de SP para ter acesso à Lava Jato



As obras do Metrô e da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) foram citadas na Lava Jato, com suspeitas de pagamento de propina.

A Corregedoria Geral da Administração (CGA) solicitou, sem sucesso, o compartilhamento de informações a trechos da Operação Lava Jato com denúncias que envolvem o Estado de São Paulo. O pedido foi feito ao juiz Sergio Moro.

Segundo informações da Folha de S. Paulo, a CGA argumenta que necessita dos documentos para continuar as investigações na esfera administrativa sobre suspeitas de irregularidades com a participação de servidores, principalmente envolvimento de empresas com o cartel dos trens.

As obras do Metrô e da Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU) foram citadas na Lava Jato, com suspeitas de pagamento de propina.

Apontado como o "santo" nas planilhas da Odebrecht, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) aparece em e-mail de 2004, ligado a repasse de R$ 500 mil. A empreiteira foi a responsável pelas obras do Metrô de SP.

De acordo com a publicação, Ivan Agostinho, presidente da CGA, já cogita ir até Curitiba para cobrar uma resposta.

Correio do Povo de Alagoas – 20/12/2016

Comentário do SINFERP

Pois tomara que continue ignorando a solicitação da CGA, uma vez que o motivo é evidente: sair limpando tudo que é rastro que eventualmente ainda exista.  CGA? De São Paulo? “Continuar” investigação que envolve o governo do Estado de São Paulo? Só pode ser piada. Que a Lava Jato não investigue e já era esperado, mas poderia ao menos não dar munição para o exército de blindadores do glorioso governador de São Paulo.

Nenhum comentário: