quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Paralisação de trens do Subúrbio de Salvador prejudica usuários pelo segundo dia


Greve tem como objetivo pressionar governo para reajustar os salários.
As pessoas que precisam dos trens do Subúrbio ainda estão sem poder usar o meio de transporte nesta quinta-feira (6). O CORREIO esteve nas estações da Calçada, Periperi e Paripe na manhã desta quinta e encontrou alguns usuários que ainda não sabiam da paralisação, que começou nesta quarta-feira (5). Por dia, 18 mil pessoas usam os trens.
Para o chefe de segurança Benedito Ferreira, 50 anos, o modal é essencial para quem mora no Subúrbio. “É um transporte rápido, barato e para população do subúrbio, se faz essencial”, disse. Ele tem carro, mas deixa o veículo no estacionamento da estação quando precisa ir na Calçada. 
“Muitas vezes para no terminal de Paripe, vai na calçada de trem, a gasolina tá cara, é normal que a estação de Paripe ficar lotada de carros. O trem significa para mim tranquilidade e economia”, afirmou.
Já a dona de casa Maria Silva, 52 anos, usa os trens duas vezes por semana para ir ao trabalho, na Calçada. Ficar sem o serviço é um prejuízo. “Dificulta muito com a nossa vida, muita gente não tem condições de pegar o ônibus, o trem facilita muito porque custa R$ 0,50. O ônibus é quase cinco vezes o valor”, reclamou.
O aposentado Francisco Querino, 63 anos, usa os trens ocasionalmente, por causa das vantagens que o modal oferece. “Muitas pessoas têm como ir de ônibus, mas preferem o trem por causa do trânsito e tempo para chegar no trabalho”, completou.
A paralisação tem com o objetivo de pressionar o governo a reajustar os salários. Em nota, o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Ferroviário e Metroviário dos Estados da Bahia e Sergipe (Sindiferro) informou que a decisão foi tomada em Assembleia Geral realizada no dia 27 de setembro. Ainda segundo o sindicato, essa é terceira paralisação em menos de dois meses.
A Companhia de Transportes da Bahia (CTB), responsável pela administração do serviço, informou em nota que o governo do estado reajustou o salário dos trabalhadores três vezes nos últimos anos.
"A CTB esclarece que, desde que o Estado assumiu a gestão do sistema de trens do Subúrbio, em maio de 2013, os salários dos funcionários foram reajustados três vezes, chegando aos 22,42% de aumento acumulado ao longo destes três anos", afirmou. 
G1 – 16/10/2016

Nenhum comentário: