quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Governo de SP diz cumprir sua parte para construção da Linha 6 do Metrô


O secretário de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, afirma que o governo de São Paulo está fazendo a sua parte para a construção da Linha 6- Laranja do Metrô. Na segunda-feira (5), o consórcio responsável por construir a linha disse que vai parar a obra porque não consegue empréstimo para tocar o projeto.

Segundo as empresas envolvidas, a suspensão se deve às "dificuldades vivenciadas na contratação do financiamento de longo prazo, condição indispensável à continuidade do projeto".

Segundo o secretário Pelissioni, que é responsável pelo Metrô, é obrigação do Consórcio conseguir o dinheiro para a obra, e que o Estado está cumprindo com sua parte no contrato. Também disse que, se conseguir resolver o problema nos próximos meses,
o prazo de entrega deve ser mantido para 2021.

"Por enquanto nós determinados uma auditoria nos canteiros para verificar a quantidade de pessoas e equipamentos trabalhando, estamos toda a semana sendo notificados disso e, junto com a Procuradoria-Geral do Estado, estudando medidas que vão desde multas e penalidades até eventualmente se um empréstimo de longo prazo não puder sair, uma rescisão de contrato, coisa que nós queremos evitar", afirmou o secretário.

Prometida para ser entregue em 2020, a obra está prevista pelo governo para ser entregue em 2021. Metade da obra está sendo paga pelo estado e outra metade, pela iniciativa privada, em um modelo de parceria público-privada. Se a linha ficar pronta, o consórcio ficaria com os lucros da bilheteria.

A Linha 6-Laranja, anunciada em 2008, está prevista para ligar a região noroeste de São Paulo ao Centro da cidade. "A decisão resguarda o interesse público na medida em que mitiga danos à viabilidade do empreendimento e preserva as atividades já executadas, com investimentos da ordem de R$ 2,7 bilhões", argumenta o consórcio.

O Consórcio Move São Paulo disse que, apesar da paralisação das obras, os processos de indenização seguem normalmente.

G1 - 06/09/2016

Comentário do SINFERP

Pois é: eles fazem “negócios”, mas quem fica no prejuízo e paga a conta somos nós, os palha...., isto é, os contribuintes. Tadinho do governo tucano... Fez a sua parte... E quem vai obrigar o parceiro dele (governo tucano) a fazer a sua? Nós?

2 comentários:

Anônimo disse...

tudo isso é desculpa para o poder publico injetar dinheiro na parte que deveria ser de responsabilidade do "parceiro" privado. a linha 5 e 17 está sendo leiloada e nem estao prontas ainda. ou seja, o governo estadual vai construir para depois o parceiro usufruir.

SINFERP disse...

Mas é sempre assim. NÓS construímos, NÓS pagamos, e o governo entregar para o parceiro DELE usufruir.