sábado, 20 de agosto de 2016

Erundina estuda passe livre progressivo no transporte de São Paulo


Ela já defendeu a proposta quando foi prefeita da cidade, há 27 anos.  
A candidata a prefeitura de São Paulo Luiza Erundina (PSOL) defendeu nesta sexta-feira a implementação progressiva da gratuidade no transporte público da cidade. Ela tentou adotar a proposta quando foi prefeita do município pelo PT, há 27 anos.
A proposta é vista como uma forma de se aproximar e crescer entre o público jovem, principal base eleitoral do PSOL, em que ela é pouco conhecida. A gratuidade no transporte público foi a principal reivindicação do Movimento Passe Livre (MPL), que levou milhares de jovens às ruas em 2013. Pesquisa Datafolha divulgada no mês passado mostrou que Erundina, de 81 anos, é mais popular entre pessoas com mais de 60 anos.
Quando comandou a capital paulista, entre 1989 e 1992, Erundina e o secretário de Transportes, Lucio Gregori, tentaram implementar a tarifa zero nos ônibus da cidade. O projeto fracassou porque ela não teve apoio nem no partido nem na Câmara dos Vereadores, à época composta por maioria oposicionista.
Atualmente, Erundina acredita que o projeto seria viável por causa de uma mudança na Constituição. No final do ano passado o Congresso aprovou uma Proposta de Emenda Constitucional de sua autoria que incluiu o transporte público como um direito constitucional. No entanto, a deputada não explicou como pretende financiar essa proposta durante debate promovido hoje pela Universidade de São Paulo (USP).
— Se é um direito social é um dever do Estado prover os meios para que esse direito seja respeitado. Nós vamos implantar o passe livre progressivamente começando nos finais de semana para que as pessoas possam acessar parques, cinemas, teatros, bibliotecas — defendeu Erundina.
Pesquisa Datafolha divulgada no mês passado mostrou a deputada em terceiro lugar nas pesquisas, atrás do também deputado Celso Russomanno (PRB), que lidera as intenções de voto, e da senadora Marta Suplicy (PMDB).
O Globo – 19/08/2018
Comentário do SINFERP
Aliás, transporte tornou-se um direito social das pessoas por força de emenda Constitucional de autoria da própria Erundina.

Nenhum comentário: