segunda-feira, 6 de junho de 2016

VLT enguiça em primeiro dia útil de uso no Rio

No primeiro dia útil em que o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) circulou no centro do Rio, o bonde elétrico enguiçou e os passageiros foram obrigados a descer do veículo fora da parada oficial.

O motivo foi uma queda de energia, segundo a Secretaria Municipal de Transporte. O bonde parou nesta segunda (6), por volta das 15h, entre as estações Antônio Carlos e Aeroporto Santos Dumont, ponto final da linha. Voltou a funcionar 20 minutos depois.

O VLT foi inaugurado no último domingo (5) e fará, por ora, viagens da Parada dos Museus, na praça Mauá, até o aeroporto.

"Cabe esclarecer que nesta etapa novos eventos podem ocorrer, pois a fase é de adaptação", disse a secretaria, em nota.

EXTENSÃO DA CALÇADA

Nesta segunda, a pista por onde passa o bonde elétrico foi usada como se fosse uma extensão da calçada por pedestres, vendedores ambulantes e ciclistas.

A operação já começou sob receio quanto à segurança, principalmente dos pedestres. O VLT trafega no nível da rua e não tem cercado que impeça o acesso de pessoas aos trilhos.

O transporte foi inaugurado mesmo sem o aval do Ministério Público do Estado, que considera não ter sido implementada a sinalização adequada.

Nesta etapa inicial, o VLT trafega em velocidade reduzida e com batedores de moto à frente, para diminuir o risco. Ainda assim, a Folha constatou nesta segunda que ambulantes com carrinhos de pipoca e transportadores de carga usam a pista como via de acesso.

Passageiros ouvidos pela Folha fizeram uma série de críticas ao serviço. Para Sheila Aguiar, 46, a sinalização está inadequada. "Não há placas dizendo de que lado vem o trem. As poucas placas que há são pouco explicativas. Só dizem 'fique de olho no VLT'", diz a advogada.

A dona de casa Lucia Luz, 60, diz achar as plataformas pequenas demais. "Ficamos muito perto do trem. Num dia cheio, as pessoas vão ficar com o nariz na porta", diz ela, que também achou o interior do bonde pouco espaçoso.

CURIOSOS

O VLT também provocou a curiosidade da população.

Em todos os oito pontos inaugurados, passageiros faziam selfies e vídeos. No horário de almoço, os trens ficaram lotados de pessoas que estavam lá "só para passear".

Foi o caso de Andréa Gonçalves, 40. "Aproveitei o horário de almoço para ver a novidade, mas o trem estava tão cheio quando chegou que decidi esperar o próximo para embarcar." 
Folha de São Paulo – 06/06/2016

Comentário do Sinferp


Ô azar... Bem, acontece. Apostamos no sucesso do VLT do Rio de Janeiro, mesmo porque sabemos que será vitrine e motivo de cobiça para outras capitais, a começar pela paulista, que vergonhosamente não tem um metro sequer do modal.

2 comentários:

Pregopontocom Tudo disse...

Rapaz......azar,urucubaca,e o pior é que o peso que ele está carregando com certeza não é o peso dos passageiros......

SINFERP disse...

Bem, vamos torcer para que a falha fique nessa e pare nela. Esse VLT é muito importante, pô. Será cenário de filmes, de novelas e assim se fará conhecer pelos brasileiros. Será convertido em objeto de consumo.