sexta-feira, 27 de maio de 2016

Passageiros abandonam trem e caminham pelos trilhos no Recife

Composição apresentou falha mecânica e parou entre duas estações. Problema aumentou o tempo de espera e gerou transtornos no local.

Uma falha mecânica em um dos trens do metrô do Recife causou uma confusão na manhã desta quinta-feira (26), na capital pernambucana. Centenas de pessoas resolveram descer dos vagões e caminhar pelos trilhos entre as estações Barro e Werneck. O problema na composição ainda aumentou o tempo de espera no sistema metroviário de cinco para dez minutos. 

O trem apresentou a falha por volta das 7h30. No momento, cerca de 40 mil pessoas estavam circulando pelo sistema gerenciado pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), de acordo com o assessor do órgão, Salvino Gomes.

O problema foi agravado porque, no hora da falha, um passageiro acionou a alavanca de emergência que, além de abrir todas as portas, trava todo o sistema do trem. Sendo assim, a Companhia precisou reiniciar o sistema, o que levou muito mais tempo. O trem parou, justamente, numa área de manobra, o que dificultou a passagem dos outros veículos. Por volta das 10h, o serviço foi normalizado e os trens voltaram a circular.

Durante a manhã de transtornos, alguns passageiros protestaram nos trilhos e a Polícia Militar foi chamada para conter o tumulto. Entretanto, o destaque maior foi para a preocupação dos muitos passageiros que se atrasaram para o trabalho ou para outros compromissos.

De acordo com o superintendente interino do metrô, Leonardo Vilar Beltrão, o problema aconteceu devido a um vazamento numa bolsa de ar de um trem, responsável pelo sistema de frenagem do veículo. Segundo ele, esse é um problema que se agrava devido à falta de investimentos no modal. "O metrô tem deixado de receber o orçamento há anos. Estão faltando recursos e nós temos tentado reverter essa situação", explica.

Ainda segundo Beltrão, é difícil estimar a verba necessária para fazer com que o metrô funcione com qualidade. Ainda assim, o órgão planeja detalhar os setores em que os investimentos são necessários para, assim, executar as mudanças necessárias. "Diante desse detalhamento, a gente vai planejar a curto, médio e longo prazo para reverter essa trajetória de degradação do metrô", assegura o superintendente.


G1 – 26/05/2016

Nenhum comentário: