sábado, 12 de dezembro de 2015

Vão entre trem e plataforma na Estação Estudantes preocupa

Foto Jamile Santana
G1 mediu e espaço na estação de Mogi das Cruzes é de 23 centímetros. Na última terça (8), idoso teve o braço amputado ao cair no vão.

Passageiros da Linha-11 (Coral) da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM)  reclamam da distância entre o trem e a plataforma na Estação Estudantes, em Mogi das Cruzes. Dependendo do trem estacionado, o espaço fica maior ou menor. Com o modelo 9000 Expresso Leste, a distância chega a 23 centímetros na plataforma 4.  Na última terça-feira (8), um idoso de 76 anos caiu no e espaço e teve o braço amputado. Ele segue internado em estado grave. Quem utiliza a transposição diariamente diz que a distância oferece risco constante de acidentes.

A auxiliar administrativa Leonida Ferreira da Silva, de 34 anos, utiliza o transporte diariamente para ir ao trabalho, na Capital. "Trabalho lá há uns oito anos, e nesse tempo já presenciei pelo menos duas pessoas caindo no vão. Felizmente, em nenhuma dos casos aconteceu algo grave, porque o trem estava parado. Acho que isso só acontece porque a estação é terminal, então o trem fica parado por muito tempo. Mas se o vão desta distância fica numa estação mais movimentada, com certeza é um problema", destacou.

G1 fez a medição da distância entre as plataformas 3 e 4 da Estação Estudantes com o trem modelo 9000 Expresso Leste. O veículo possui nas portas uma pequena rampa que ajuda a diminuir a distância. Ainda assim, são 23 centímetros de vão, o suficiente para deixar uma pessoa entalada.

"Eu calço 38 e meu pé, se deixar, afunda no espaço. Tem dias que você tem que praticamente subir um degrau para entrar no trem. Quem é jovem tira de letra se a estação está vazia. Mas para o embarque de crianças e idosos fica bem mais complicado", reclamou a design Luana de Castro Antunes, de 29 anos.

Em nota a CPTM informou que a questão da distância entre os trens e a plataforma é decorrente do compartilhamento das vias com os trens de carga, já que estes são mais largos que os trens de passageiros.  Há o projeto do Governo Federal para implantação do ferroanel, que consiste na construção de vias exclusivas para os trens de carga.

Ainda segundo a companhia, os usuários são alertados por meio de avisos sonoros emitidos nos trens e estações, sobre os cuidados durante o embarque e desembarque.

"Nos horários de pico, são realizadas operações nas plataformas com agentes operacionais identificados com coletes diferenciados, que  ficam posicionados de forma a orientar os usuários para que não corram durante o embarque, aguardem os usuários desembarcarem para depois embarcar e outras atitudes para evitar acidentes".

Em relação à ocorrência na Estação Estudantes, a CPTM  afirmou que está colaborando com as autoridades policiais e fornecerá todas as informações solicitadas.

O caso

Franquilin Moreira de Arruda, de 76 anos, que caiu no vão entre a plataforma e o trem em Mogi das Cruzes está internado em estado grave na UTI.

O hospital acrescentou que não foi possível fazer a implantação do braço.  De acordo com o boletim de ocorrência registrado no 1º Distrito Policial, um segurança da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) disse que provavelmente ele tentava embarcar no último instante, quando as portas eram fechadas.

G1 – Jamile Santana – 12/12/2015

Comentário do SINFERP


23 centímetros? Em algumas estações o vão é bem maior do que esse. Isso sem contar o degrau entre a plataforma e a soleira da porta. Ah, isso será resolvido depois que o governo FEDERAL liberar dinheiro para a construção do ferroanel? Que a CPTM explique, então, a existência de vão e degrau em estações localizadas em linhas pelas quais não transitam trens de carga. Ah, então o senhor acidentou-se porque provavelmente tentou embarcar no instante em que as portas eram fechadas? Tenta agora transferir a responsabilidade para o usuário, como de costume na CPTM? Onde estavam os seguranças terceirizados que andam em duplas nas plataformas, de um lado para o outro, e que não auxiliaram o idoso no embarque?  Governo ESTADUAL e CPTM nada têm a ver com nada disso.

Nenhum comentário: