domingo, 27 de dezembro de 2015

Estação da Luz (SP) receberá vistoria até segunda para avaliar reabertura para trens

Desde quarta (23), uma empresa de engenharia, a Concrejato, faz obras emergenciais para estabilizar uma parede interna do edifício.
O governador Geraldo Alckmin (PSDB) visitou a estação da Luz na manhã deste sábado (26) e disse que o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) fará uma vistoria no domingo (27) ou na segunda (28) para avaliar se é possível reabrir as plataformas para trens.

O local foi atingido por um incêndio na segunda (21), destruindo completamente o Museu da Língua Portuguesa, em seu interior.

Desde quarta (23), uma empresa de engenharia, a Concrejato, faz obras emergenciais para estabilizar uma parede interna do edifício. A empresa deve estabilizar uma viga que dilatou com o fogo, estender cabos de aço de um lado para o outro para reforçar a estabilidade do prédio e retirar partes carbonizadas do telhado de madeira com guindastes.

As ações estão sendo pagas pela Organização Social IDBrasil Cultura, Educação e Esporte, que gere o museu, e foram recomendadas pelo IPT após uma análise preliminar. O valor das obras não foi divulgado.

Segundo o governador, as obras emergenciais devem terminar no domingo (27) ou na segunda (28). "Se o IPT disser que está liberado, está liberado. Se não, ele vai dar as outras orientações e o trabalho continua", afirmou.

Caso a avaliação seja positiva, três de quatro vias serão abertas, normalizando as linhas 7-rubi e 11-coral. Com uma via a menos, o embarque e desembarque da linha 11-coral seria feito em apenas uma plataforma, aumentando o intervalo de circulação.

O acesso seria feito pela rua Mauá. O outro lado da estação, em frente à praça da Luz, seguiria interditado.

Segundo o secretário de Estado da Cultura, Marcelo Araújo, os órgãos de preservação municipal, estadual e federal aprovaram as obras.

Alckmin disse que o incêndio foi uma "grande tragédia", e que a situação é "desoladora". Ele também destacou a bravura do bombeiro civil Ronaldo P. da Cruz, 39, que morreu tentando combater o fogo, e o "grande empenho do corpo de bombeiros".

Segundo o tucano, o laudo que explicará a origem do incêndio ficará pronto em 15 dias. Não há prazo para a restauração do museu.

Usuário 

Enquanto a estação da Luz segue interditada para a CPTM, o usuário do serviço de trens precisa encerrar sua viagem um ponto antes.

No caso de quem se desloca pela linha 7-rubi, os trens de Francisco Morato e Jundiaí param na estação Palmeiras-Barra Funda, onde é possível fazer a integração com a linha 3-vermelha do metrô.

Já quem usa a linha 11-coral, que liga o centro da cidade à zona leste, deve encerrar a jornada na estação Brás, que também está integrada à linha 3 do metrô.

Segundo a CPTM, os serviços do metrô são suficientes para suprir a demanda de deslocamentos.

A linha 1-azul e a linha 4-amarela seguem em operação normal na estação da Luz, que costuma receber 300 mil passageiros por dia.


Diário do Litoral – 27/11/2015

Nenhum comentário: