segunda-feira, 16 de novembro de 2015

TGV acidentado na França bateu em ponte antes de descarrilar

Foto Vincent Kessler
O comboio do TGV (trem de alta velocidade) que descarrilou no sábado durante um teste na Alsácia (leste), deixando ao menos 11 mortos e 37 feridos, bateu contra uma ponte antes de sair da via, informou neste domingo a procuradoria de Estrasburgo.
Trata-se do cenário mais possível, segundo os primeiros elementos da investigação do acidente, segundo os quais a locomotiva bateu na ponte "e o trem descarrilou antes de cair no aterro das vias", declarou à AFP o procurador-adjunto de Estrasburgo, Alexandre Chervrier.
Um porta-voz da estatal SNCF confirmou este primeiro cenário, destacando que o trem se partiu em dois após o choque,
"O TGV saiu da via no nível da ponte e colidiu no muro de proteção. Uma parte dos vagões caiu no canal e outra, no meio do campo", indicou.
O balanço de vítimas do acidente ocorrido em Eckwersheim, perto de Estrasburgo, ainda é provisório, pois o estado de 12 dos 37 feridos é muito grave e cinco pessoas estão desparecidas. No trem, que fazia um teste de velocidade, também viajavam crianças como acompanhantes.
No começo da noite, nenhum outro corpo tinha sido encontrado no local, acrescentou Chevrier.
As caixas-pretas do trem já tinham sido recuperadas, informou o próprio Chevrier, que abriu a investigação.
O presidente da companhia ferroviária francesa SNCF, Guillaume Pepy, considerou o ocorrido como um "enorme golpe" para a empresa, que nunca sofreu nenhum descarrilamento mortal desde que teve início seu serviço de trens de alta velocidade, em 1981.
As vítimas faziam parte de uma equipe de 49 técnicos e ferroviários a bordo do comboio, que realizava um teste na linha de alta velocidade destina a ligar Paris a Estrasburgo em 1h48, a partir de abril de 2016.
Por causa do acidente, a SNCF decidiu adiar a implantação desta linha de alta velocidade, que estava prevista para abril de 2016.
Crianças entre os feridos
Muitas crianças estavam a bordo no trem, indicaram, neste domingo, fontes da companhia ferroviária francesa.
"Havia várias crianças a bordo", indicou um porta-voz da empresa, que disse desconhecer se alguma delas morreu no acidente.
"Há (crianças) entre os feridos", precisou, sem especificar, no entanto, a gravidade de suas lesões.
Pepy confirmou, por sua vez, "a presença de alguns acompanhantes no comboio", incluindo crianças.
A empresa entregou aos investigadores a "lista de acompanhantes (....) autorizados a participar" dos testes para que comprovem se seus nomes coincidem com os das pessoas a bordo no momento do acidente, explicou Pepy.
"Ferroviários ou acompanhantes, gente na lista ou gente que não está na lista, a SNCF assumirá sua responsabilidade com todas as vítimas", acrescentou.
As investigações "vão permitir esclarecer (...) quem são esses acompanhantes, por que estavam a bordo, em que circunstâncias foram autorizados a embarcar neste trem", disse ele algumas horas antes à rádio France Info.
O presidente da empresa lamentou, ainda, a possibilidade de que algumas pessoas não tivessem autorização para estar a bordo.
"Não é uma prática reconhecida pelo SNCF. Não estamos em uma fase turística ou em uma fase amistosa, um trem de testes é um trem de testes", destacou.
O trem saiu dos trilhos e caiu na água em um canal. Ele estava viajando a cerca de 350 Km/h, de acordo com uma fonte próxima à investigação.
Segundo o sindicato Sud Rail, este TGV realizava "testes de velocidade excessiva" antes de descarrilar.
Mas a SNCF "não confirma que a velocidade do comboio seja a causa do acidente", disse seu porta-voz.
No local do acidente, vários guindastes tentavam, neste domingo, recuperar o trem, que caiu perto de uma ponte sobre o canal Marne au Rhine, ao noroeste de Estrasburgo. Segundo os bombeiros, os trabalhos terminarão por volta da meia-noite deste domingo.


Zero Hora – 15/11/2015

Nenhum comentário: