domingo, 27 de setembro de 2015

Prefeito de Santos (SP) visita garagem de restauração de bondes da CET

O objetivo foi verificar o andamento do processo de restauração dos veículos, realizado por funcionários da companhia.
O prefeito Paulo Alexandre Barbosa visitou, na manhã de quinta-feira (24), a garagem dos bondes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Santos). O objetivo foi verificar o andamento do processo de restauração dos veículos, realizado por funcionários da companhia. 
Acompanharam a visita o presidente da CET, Antonio Carlos Silva Gonçalves, e o secretário de Turismo, Luiz Dias Guimarães. Os trabalhos têm supervisão do engenheiro Marcos Rogério Nascimento, da CET.
Os futuros Bondes Restaurante e Gilda (Gala) já estão desmontados e aguardando a conclusão de licitações para integrar a frota de elétricos. O primeiro será o Restaurante, que servirá refeições no próximo ano. Já foram adquiridos os inversores de frequência, geladeiras, sanitários adaptados, elevadores para acessibilidade e cozinha planejada.
Os veículos aguardam a conclusão das licitações para aquisição de ar condicionado e sistema de adaptação da largura entre as rodas (bitola). Em processo avançado de reforma está o bonde 193, primeiro dos três recebidos da cidade de Porto, Portugal.
O veículo já rodava na linha há dez anos e precisou de nova reforma. Está completamente restaurado na parte interna, restando apenas detalhes das rodas e parte elétrica. A previsão é de retornar à Linha Turística dentro de seis meses.

A Tribuna – 25/09/2015

2 comentários:

Paulo Lima disse...

Isso mostra, que Santos é um exemplo nacional, de manter ainda os Bondes nas Ruas, ao menos para o passeio turístico. Pena que outras cidades brasileiras não tem interesse de manter ao menos um pequeno trecho de bonde, ao menos para o passeio.
E outra, se no passado entre as décadas de 50 até 70, se os Bondes não tivesse sido erradicado nas Cidades Brasileiras, em nome do lobby das montadoras de carros e ônibus. Hoje serias os sistemas de VLT, ou seja, seriam os "Bondes Modernos". A Europa fez esse exemplo, modernizou seus Bondes e hoje são os VLTs. Enquanto aqui no Brasil, que acabou de vez com os bondes(arrancando até os trilhos), agora demonizam os VLTs alegando seu custo alto para implantar, e sempre dando preferência ao BRTs (nada mais para beneficiar empresas de ônibus). A única esperança, que pelo menos Rio de Janeiro e Baixada Santista-SP, deem exemplo que é possível também pensar no VLT nas Ruas Brasileiras, não só focar no BRT.

SINFERP disse...

Torcemos pelo mesmo, Paulo.