sábado, 5 de setembro de 2015

Huawei vai fornecer tecnologia de rede para o VLT de Santos (SP)

Huawei anunciou que vai fornecer para a Thales sua tecnologia de rede backbone, que dará suporte para toda a infraestrutura de tecnologia de comunicação e informação (TIC) da Thales no projeto do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) de Santos. Como um fornecedor da Thales, a Huawei será responsável pela solução de rede backbone em 54,5 km.
Após a implementação, o VLT de Santos vai oferecer um serviço moderno, com soluções tecnológicas avançadas. Com a adoção dessa tecnologia será possível melhorar a segurança e o conforto dos passageiros, proporcionando maior confiabilidade para operações dos bondes.
A solução irá conectar todas as 16 estações do VLT da cidade de Santos. O sistema foi projetado para resistir à alta umidade, altas temperaturas e ambientes corrosivos da água do mar e areia observada na região.
“A Huawei está honrada de ser o fornecedor deste projeto, contribuindo para a modernização do sistema de transporte público de Santos. A aplicação de tecnologias inovadoras na indústria de transporte ajuda a melhorar a segurança, eficiência e desempenho operacional dos trens e, portanto, representa um marco importante para a gestão de uma cidade inteligente eficiente”, disse Rômulo Horta, Diretor de Marketing da Huawei do Brasil.
O que é a solução VLT da Huawei
A solução data-backbone da Huawei é uma das principais redes de dados de VLT, fornecendo toda a comunicação para operações em trilho, tais como relatórios de comunicação, a comunicação entre equipe de operações, conectividade com a Internet para todas as estações e dados de sistemas de vigilância.
A Huawei fornece soluções de TI para o setor de transporte ferroviário há mais de 19 anos. Os serviços de transporte de massa, a principal linha de produtos voltada para passageiros e de carga do portfólio da Huawei, assim como na indústria de aviação, são aplicados globalmente.
As soluções de TIC para transporte ferroviário da Huawei vão desde redes de transmissão de telefonia fixa, até soluções de vídeo vigilância inteligentes, central de controle de voz sem fio e rede de dados, tais como eLTE e GSM-R para a transmissão de voz e comunicação de dados.


Bit Magazine – René Ribeiro – 19/08/2015

2 comentários:

Paulo Lima disse...

É uma pena, que as obras do VLT estão muito atrasadas, e pior. Quase parando, por causa do Trecho da Av Francisco Glicério (uma das principais Avenidas de Santos) que nem mesmo a Justiça dedo liberado para EMTU retomar as obras. As obras não andam no trecho santista. Falam que até final do ano, fica pronto, mais como as obras até agora nem deu sinal e as previsões da EMTU que só retomam em outubro o "trecho polêmico". Acho que isso sé vão mesmo ficar pronto no 2º semestre do ano que vem.
Engraçado, se fosse obra do BRT, essa promotora do MP lá da Baixada, talvez não faria essa palhaçada de impedir o andamento das obras e pra ela não teria problema de os ônibus do BRT circular no meio da Avenida. Agora só porque é um VLT, querem dar 1001 problemas??? E não querem que o VLT (Que nada mais é uma volta dos Bondes, só que moderno) passe no meio da Avenida,e jogue para o antigo leito ferroviário da Sorocabana???
Complicado...

SINFERP disse...

Vamos ver no que vai dar isso, Paulo Lima. Abraço.