segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Estações de trem são reformadas para Olimpíadas de 2016 no Rio

Foto Fernanda Rouvenat
Seis terminais da cidade serão adaptados para os Jogos Olímpicos. Previsão é de carregar 700 mil passageiros durante dias úteis até 2016.

O secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório, anunciou nesta segunda-feira (31) o balanço da reforma de seis estações de trem para os Jogos Olímpicos de 2016. A iniciativa está ligada com a previsão da secretaria de Transportes do Rio de oferecer o serviço para 700 mil pessoas durante dias úteis até o fim de 2015.

Entre as estações que vão ser adaptadas, duas já estão sendo reformadas para terem integração multimodal. O terminal de São Cristóvão, na Zona Norte do Rio, terá integração entre os trens da SuperVia e o Metrô. Já o de Deodoro, no Subúrbio da cidade, terá integração dos trens com o BRT Transolímpica.


"O passageiro terá acesso direto ao estádio do Engenhão com essa nova obra. Infelizmente, para os Jogos, a integração com o BRT Transolímpica terá que ser feita na estação de Magalhães Bastos, que é a anterior à Deodoro", explicou Osório.

O prazo para a entrega dessas novas multimodais e das outras quatro que também estão passando por reformas - Engenho de Dentro, Vila Militar, Magalhães Bastos e Ricardo de Albuquerque - é entre abril e maio de 2016, mas algumas poderão ser antecipadas para março.

"Essas estações São de muito movimento, não só para a época dos Jogos, como também no dia a dia de quem usa o trem", disse o secretário.

700 mil passageiros até o fim do ano

A secretaria de transportes afirma ainda que o número de passageiros dos trens chegará a 700 mil, nos dias úteis, até o final de 2015.


"Nós tivemos um crescimento de mais de 10% em relação ao ano passado. A nossa meta agora é chegar aos 700 mil passageiros. Também pretendemos aumentar o número de usuários dos trens com essas novas reformas das estações", disse Osório.

De acordo com a Secretaria de Transportes, o processo de modernização do sistema ferroviário será concluído em 2016, quando os passageiros da SuperVia terão à disposição uma frota 100% refrigerada. Uma outra meta é, até 2018, atingir a marca de 1 milhão de passageiros no sistema ferroviário diariamente.


G1 – Fernanda Rouvenat - 31/08/2015

Um comentário:

Paulo Lima disse...

Pois eh, já que muitas obras não ficaram prontos para Copa, e até hoje nem ficaram prontas (tem obras que estão abandonadas e outras que nem se quer vai mais sair do papel), vamos ver, se pelo menos as obras para Olimpíadas, ficaram prontas. Principalmente o VLT e as Estações do Metrô Reformadas. Vamos ver... apesar que não confio no governo não, porque todo mundo sabe que obras públicas sempre atrasas por anos (não por meses).