domingo, 30 de agosto de 2015

Trem do Corcovado, o passeio turístico mais antigo do País

O trajeto de 20 minutos pela Estrada de Ferro do Corcovado leva milhares de pessoas ao Cristo Redentor.

Agora que você desembarcou do Trem das Montanhas Capixabas, com sua paisagem serrana, dê um pulinho ao Rio de Janeiro e siga pela Estrada de Ferro do Corcovado, o passeio turístico sobre trilhos mais antigo do Brasil. A linha férrea, inaugurada em 1884 pelo imperador dom Pedro II, passa pelo Parque Nacional da Tijuca, fragmento de mata atlântica com 39,51 quilômetros quadrados.

O trajeto de 3,824 quilômetros de extensão dura 20 minutos, da Estação do Cosme Velho até o alto do Corcovado, a uma altitude de 710 metros. A velocidade de 15 quilômetros por hora na subida e 12 km/h na descida é um convite a apreciar a floresta, aproveitando o ar puro e a temperatura amena, e um contraste com o cenário urbano da capital fluminense. O passeio para visitante custa R$ 62, na alta temporada.

O Trem do Corcovado está em atividade desde 1917, mas a máquina a vapor do século 19 foi substituída por uma locomotiva elétrica, que não polui o ambiente. A ferrovia leva cerca de um milhão de pessoas por ano aos pés do Cristo Redentor, monumento inaugurado em 1931 e considerado uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno.

“Todas as peças para a montagem do Cristo foram transportadas na ferrovia, por quatro anos, a partir de 1927”, diz Ricardo Pina, relações públicas do Trem do Corcovado, empresa privada que gerencia o serviço. Santos Dumont, o célebre aviador, pedia para “pilotar” a máquina quando fazia o trajeto até a Estação Paineiras, continua.

A ferrovia que no passado conduziu reis e príncipes encantou o servidor público federal de Vitória (ES), Luciano Marinato, em visita ao Morro do Corcovado. “Um passeio lindo, fiz questão de vir de trem, embora a Van fosse mais barata. Quis mostrar a paisagem às minhas filhas, sentir a natureza. A gente não veria isso de carro”, observa.

Para os visitantes, passear de trem, é uma maneira divertida de viajar pelo País. Mais do que isso, é também uma forma de preservar o patrimônio ferroviário brasileiro, diz o coordenador nacional do Projeto Trem é Turismo, Luiz Carlos Barboza.

O projeto é uma parceria da Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais (Abottc) com o Sebrae, para fortalecer destinos turísticos sobre trilhos. “A ideia é, também, apoiar empreendimentos no entorno das estações, como guias de turismo, hotéis, pousadas, restaurantes e pequenas empresas”, explica o coordenador do programa pelo Sebrae, Geraldo Costa.

Jornal do Commercio – 30/08/2015


Um comentário:

Paulo Lima disse...

Tenho amigos meu, que já passearam nesse trem e me disseram que é "show de bola" esse passeio. E depois eu disse ainda pra eles, que o Rio vai ser um marco para Mobilidade, além deles preservarem o Bonde de Santa Teresa(pena que as obras nunca acabam, graças a essa palhaçada do governo desde que ouve o acidente) estão implantando os VLTs, que vai deixar uma parte do Rio bastando bonito e valorizado desde a questão urbanística ao transporte moderno e confortável.