domingo, 2 de agosto de 2015

Pedestres ignoram riscos e passam por trilho de trem no centro de Maceió (AL)

Foto Lucas Leite
Trecho que serve de travessia fica próximo ao Mercado do Artesanato. Comerciantes dizem que prática já causou diversos acidentes no local.

Diversas pessoas colocam diariamente a vida em risco ao ignorar o alambrado que separa a Rua Francisco de Menezes e os trilhos do trem no Centro de Maceió. Sem se preocupar com o perigo, pedestres de todas as idades transitam livremente por aquela área, em um ponto de travessia próximo ao Mercado do Artesanato, que por segurança deveria estar fechado.

A reportagem do G1 esteve no local, que está em obras para a construção de uma nova estação de trem, e flagrou vários pedestres atravessando os trilhos. Na ocasião, muitos justificaram não considerar a prática perigosa e disseram que fazem a travessia no local para 'ganhar' tempo, já que o ponto correto para passagem fica a 20 metros de distância.

"Eu não acho que a gente corra perigo, é só prestar atenção e olhar para os dois lados antes de atravessar. Como trabalho no mercado da produção, faço esse percurso todo dia", diz Monalisa Batista, de 23 anos.

José Lessa diz que a travessia facilita o percurso e que a prática não é perigosa. "As pessoas atravessam por aqui direto, cheguei a estranhar quando fecharam o local. Acho que a prefeitura deveria fazer passagens para quem deseja passar pelo local", relata.

Para os comerciantes da região, a atitude dos pedestres é perigosa. Alguns deles já presenciaram acidentes no local. "Já vi várias pessoas caírem nos trilhos e se cortarem. Uma vez, um senhor tentou atravessar, caiu, e precisou ser socorrido pelo Samu [Serviço de Atendimento Móvel de Urgência]", relata José Abdias.

Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), que não quis se identificar,  informou que uma parte da proteção fica aberta até às 17h, pois os comerciantes da região reclamavam que, com todas as passagens fechadas, o fluxo comercial da região diminuía.

CBTU

Questionada pela reportagem, a assessoria de comunicação da CBTU informou que nenhum acordo oficial foi realizado para deixar a passagem aberta, mas sim, uma permissibilidade temporária enquanto as obras ainda estão na fase inicial. A CBTU diz que em até 20 dias a região será coberta por tapumes, impedindo o trânsito dos pedestre pelo trânsito.

A assessoria afirma ainda que o termino da obra, que está previsto para março do ano que vem, deve atrasar devido ao período chuvoso e a uma viga de sustentação do Mercado do Artesanato que atrapalhou o projeto inicial.

Em relação à acessibilidade, a CBTU explicou que após a obra da implantação da nova estação de trem na região do mercado, um elevado com escada rolante será construído para as pessoas atravessarem, além de um elevador, para facilitar o trânsito das pessoas que tenham algum tipo de deficiência física.


G1 – 02/08/2015

Nenhum comentário: