sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Jovem relata abuso coletivo dentro do Metrô de SP

Jornal GGN - Outro caso de abuso contra mulher dentro do Metrô de São Paulo foi denunciado nas redes sociais. Segundo o relato de uma testemunha, uma jovem de 17 anos sofreu um abuso coletivo após reclamar de um homem que a incomodava e iniciar uma discussão. Uma terceira pessoa teria gritado para que ela fosse estuprada, seguido por outras pessoas que incentivaram a violência.
A testemunha diz que ajudou a retirar a vítima do vagão, e, ao procurar ajuda dos funcionários do Metrô, eles teriam dito que nada poderia ser feito, já que a vítima era a única que poderia depor. 
Recentemente, o Metrô iniciou uma campanha contra a violência sexual, com cartazes com o slogan "Você não está sozinha".
Do R7
Em meio a gritos de "estupra", jovem sofre abuso coletivo no Metrô
Testemunha relata que grupo de pessoas no vagão mandava encoxador estuprar vítima
Mais um suposto caso de negligência de atendimento do Metrô em caso de abuso aconteceu na manhã desta quinta-feira (20) na estação Bresser-Mooca do Metrô. Uma jovem de cerca de 17 anos sofreu um abuso coletivo ao reclamar com um encoxador e os funcionários da companhia teriam dito que "nada poderia ser feito".
De acordo com um relato publicado nas redes sociais, a jovem teria pedido para o agressor parar de encoxá-la, quando ele iniciou uma discussão. Foi então que uma terceira pessoa teria gritado: "Estupra ela para ela saber o que é ser encoxada de verdade". Então o suspeito e outro homem teriam agarrado no braço da vítima embalados pelos gritos de um grupo de pessoas que dizia: "Estupra, estupra".
A testemunha ajudou a vítima a sair do vagão e, junto com ela, procurou os funcionários do Metrô para pedir ajuda. Foi quando os funcionários teriam dito que nada poderia ser feito e que a jovem era a única que poderia depor, que o depoimento da testemunha não seria considerado. Acontece que, segundo o relato, a vítima estava em choque e em prantos, totalmente sem condições de falar.
A vítima então ligou para parentes e a testemunha aguardou a chegada deles para seguir viagem.
O namorado da vítima também está em contato com o Metrô para conseguir explicações.
A assessoria de imprensa do Metrô entrou em contato para afirmar que analisou todas as imagens da estação Bresser/Moóca e da SSO (Sala de Supervisão Operacional) da estação, mas não encontrou nenhuma cena onde a suposta vítima e a jovem que a ajudou aparecessem. Além disso, não há registro de boletim de ocorrência nem de testemunhas do caso.

testemunha por intermédio da amiga, porém, por medo e receio, ela preferiu não se expor.
Obs.: As informações foram retiradas do depoimento de uma amiga da testemunha com a qual a reportagem conversou. O R7 fez contato com testemunha por intermédio da amiga, porém, por medo e receio, ela preferiu não se expor.


GGN – 21/08/2015

Nenhum comentário: