quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Haddad é hostilizado durante inauguração de ciclovia em São Paulo

Foto Tiago M. Chiaravalloti
Prefeito de São Paulo foi xingado enquanto circulava de bicicleta; via já foi reaberta.

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, foi hostilizado na manhã deste domingo (23) quando andava de bicicleta pela avenida Paulista.

A via foi fechada hoje para a circulação de carros e aberta somente para ciclistas, skatistas e pedestres, após uma semana de polêmicas sobre o bloqueio da via.

A Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo da Capital havia recomendado à Prefeitura que a avenida Paulista não fosse interditada neste domingo porque foi assinado com o Ministério Público, em 2007, um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta, no qual foi limitado a três o número de eventos de duração prolongada e interrupção da avenida Paulista. A prefeitura, contudo, decidiu manter o planejamento de fechar a via.

 Enquanto circulava pela avenida, o prefeito foi impedido de passar de bicicleta por um casal.

Os manifestantes o teriam insultado e retido sua bicicleta, recuperada pelos seguranças de Haddad instantes depois. A Secretaria de Comunicação da Prefeitura confirmou o ocorrido.

A avenida ficou totalmente bloqueada até as 17h42, segundo informou a CET.

Durante o dia, grande número de pedestres e ciclistas passaram pelo local.

Pela manhã, foi inaugurado mais um trecho para bicicletas, o da avenida Bernardino de Campos, na Vila Mariana, que é interligada à ciclovia da avenida Paulista.

De acordo com a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), a presença de um bloco carnavalesco no vão livre do MASP (Museu de Arte de São Paulo) fez com que o policiamento também fosse acionado para apoiar a liberação da via. 

R7 – 23/08/2015

Comentário do SINFERP

Nosso povo precisa de transporte coletivo, e não dessa frescura para deleite de classe média. 

Um comentário:

Paulo Lima disse...

Eu defendo também ciclovias e acho legal ver que isso pode ser uma iniciativa para deixar o carro na garagem. Mesmo assim não fico satisfeito só com isso, porque vejo que na verdade deveria era investir PESADO em transportes públicos, como mais Corredores de ônibus, BRT e principalmente (é o que agente defende) em VLTs nas Ruas, e caso um corredor de ônibus estiver saturados, substituir por VLT, e também estender mais linhas de Metrô (isso fica a cargo do Gov do Estado) e trens. Isso infelizmente os governantes não enxergam que transporte público com investimentos pesados (implantado Faixas exclusivas para ônibus e trilhos para VLT, ou seja, voltando os Bondes, só que moderno) seria uma solução prioritária antes das ciclovias, depois disso, dai sim vai a ciclovia.