domingo, 14 de junho de 2015

Ministério do Trabalho interdita obras do bonde de Santa Teresa (RJ)

Foto Isabela Marinho
Segundo nota, há risco à integridade física dos trabalhadores.  Não há tapume ou barreira de proteção para os operários. 

O Ministério do Trabalho do Estado do Rio interditou nesta quinta-feira (11) as obras do bonde de Santa Teresa, que já estão atrasadas há pelo menos um ano. Auditores Fiscais do Trabalho da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego no Rio de Janeiro (SRTE/RJ) tomaram a decisão devido aos riscos para trabalhadores.

De acordo com nota divulgada pelo MTE, há "grave e iminente risco à integridade física dos trabalhadores, sobretudo com ausência de isolamento das vias para execução da obra".

Ainda segundo a nota, durante a fiscalização, foi verificado que não havia tapume ou barreira de proteção para os operários, nem a devida sinalização na via. Foi apurado também o risco de choque elétrico, com emendas e derivações dos condutores elétricos e falta de aterramento dos equipamentos, o que levou à interdição de um gerador portátil.

No ambiente de trabalho, outras irregularidades foram constatadas, como condição insatisfatória de sanitários, que eram muito distantes dos postos de trabalho.

O consórcio Elmo-Azvi, responsável pela obra, foi notificado a apresentar documentação e deverá sanar pelo menos sete irregularidades para que a atividade seja desinterditada.

Durante a paralisação dos serviços, os empregados devem receber como se estivessem em efetivo exercício. A fiscalização segue em andamento para averiguar outras possíveis irregularidades.

Segundo a Secretaria Estadual de Transportes, a obra está sendo realizada entre os largos do Curvelo e dos Guimarães e está em fase de concretagem, instalação de trilhos e rede aérea. O consórcio ainda não concluiu o retrabalho entre a Carioca e o Largo do Curvelo, conforme determinado pelo Governo do Estado, e por isso foi multado em R$ 900 mil no mês passado. O prazo determinado pela Setrans para a conclusão desta etapa é de 30 dias.

O secretário estadual de Transportes, Carlos Roberto Osório, já havia dito nesta quarta-feira que estabeleceu para a concessionária que administra os trabalhos um conjunto de metas para junho. Caso não fossem respeitadas as metas, Osório prometeu que cancelaria o contrato e faria uma nova licitação para as obras de recuperação viária do bonde de Santa Teresa.


G1 – 11/06/2015

Nenhum comentário: