sexta-feira, 26 de junho de 2015

Com obras paradas, canteiros do VLT de Cuiabá (MT) devem ser recuperados

Foto André Souza
Implantação do VLT está parada, mas canteiros nas ruas estão destruídos. Com obra judicializada, governo pediu autorização para amenizar situação.

O governo do estado pediu autorização à Justiça para restaurar os canteiros demolidos nas ruas de Cuiabá por conta da implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) enquanto as obras não são retomadas. A iniciativa visa amenizar com paisagismo e recapeamento os inconvenientes causados em trechos já afetados pelo VLT nas avenidas Historiador Rubens de Mendonça (Avenida do CPA) e Tenente Coronel Duarte (Avenida da Prainha), nos quais o asfalto e os canteiros já foram comprometidos.

Já o pedido de autorização por parte da Justiça se deve ao fato de que as obras do VLT são atualmente objeto de conciliação judicial entre o estado e o consórcio de empresas responsável pelo projeto, o Consórcio VLT. Somente após o fim do processo de conciliação as obras podem ser retomadas.

De acordo com a Secretaria de estado de Cidades (Secid), o intuito do governo é retomar o quanto antes a implantação do VLT, mas as medidas paliativas foram cobradas pelo próprio governador Pedro Taques (PDT). Os recursos necessários para os trabalhos ainda deverão ser destinados.

O projeto de recuperação das áreas afetadas pelas obras agora paradas também foi apresentado aos comerciantes na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL).

A eles, o secretário de Cidades, Eduardo Chiletto, também explicou que, quando as obras do VLT finalmente forem retomadas, deverão ser modificadas as alterações paliativas anunciadas agora.

Medidas paliativas

Uma das medidas é a retirada dos blocos de concreto que atualmente servem para delimitar pistas na Avenida da Prainha.

Ali, perto do cruzamento com a Avenida Dom Bosco, o espaço amplo do canteiro central deverá servir como estacionamento e pista de tráfego provisória.

Na Avenida do CPA, o canteiro central demolido é mais amplo e, hoje, está tomado apenas por terra. O projeto da Secid é cobrir o espaço com brita em determinados locais e grama em outros.


G1 – 25/06/2015

Nenhum comentário: