quarta-feira, 1 de abril de 2015

Comando da PM é forçado a anunciar reforço em policiamento de trens no Rio de Janeiro

Foram quatro arrastões em menos de um mês. Grupamento de Polícia Ferroviária terá novos homens em abril.
Rio - A onda de violência que atinge passageiros do transporte coletivo sobre trilhos no Rio — usuários do Metrô e Supervia já sofreram quatro arrastões em menos de um mês — obrigou o comando da Polícia Militar a anunciar nesta terça-feira a reestruturação do Grupamento de Polícia Ferroviária (GPFer), que ganhará novo efetivo este mês.

Atualmente, segundo a assessoria da PM, a unidade, que foi rebaixada de batalhão, quando tinha 300 homens, para grupamento em 2010, conta com apenas 50 policiais. Divididos em dois turnos, os agentes são responsáveis pelo patrulhamento da malha da SuperVia, com 229 quilômetros de extensão e 102 estações.

Em nota, a PM informou que o número de novos integrantes do GPFer será revelado semana que vem. “Mas, com o novo efetivo, o comandante (major Luiz Castro) poderá reordenar o esquema de policiamento para a malha ferroviária. O grupamento, inclusive, já mantém um canal de comunicação direto com o Centro de Operações da SuperVia”, diz um trecho do texto.

O último ataque de bandidos ocorreu na noite de segunda-feira, por volta de 21h, quando pelo menos 35 passageiros foram assaltados num vagão do trem Santa Cruz-Central do Brasil da SuperVia. O arrastão foi praticado por Rafael Patrick Ribeiro, de 19 anos, e um menor de 16, entre as estações do Engenho de Dentro e Méier. Armados com um revólver 38, eles foram detidos por PMs do 4º BPM (São Cristóvão), nas imediações da estação Maracanã, onde haviam descido e tentavam fugir num ônibus.

“Eles estavam muito agressivos e nos impuseram terror psicológico. Roubaram meu celular”, lamentou um gráfico, de 42 anos. Um recepcionista de hostel, também de 42 anos, foi a primeira vítima. Ele disse ter desconfiado da atitude da dupla. “De repente um deles veio na minha direção armado. Não tive reação”, comentou.

A polícia apreendeu com a dupla de assaltantes um tablet, dez celulares e ainda R$ 438 em espécie, além do revólver 38. Segundo a PM, eles não tinham passagem pela polícia. 
O secretário de estado de Transportes, Carlos Roberto Osório, elogiou a PM. “Com certeza, o reforço do GPFer vai trazer mais segurança e qualidade aos passageiros”.

Procon multa Supervia por insegurança

De dezembro até ontem, o GPFer realizou 36 prisões no sistema Supervia. A empresa afirmou em nota que até meados de 2016 investirá R$ 12,5 milhões para elevar o número de câmeras — hoje em 635 — para 1.000.

“As 82 novas composições contam com câmeras de segurança internas e externas”, diz a nota. O número de seguranças nas estações não foi revelado.

O Procon estadual abriu três atos investigatórios contra a Supervia por falta de segurança em março. A empresa foi autuada e será multada.

O Dia - FRANCISCO EDSON ALVES E MARCELLO VICTOR – 31/03/2015


Nenhum comentário: