segunda-feira, 2 de março de 2015

Trem da Linha 7-Rubi da CPTM circula com portas abertas

Falha registrada por passageiros ocorreu na manhã desta segunda (2). SPTV contabilizou 20 panes na linha em 2015; CPTM diz que foram 4.

Um trem da CPTM andou por duas estações com as portas abertas na manhã desta segunda-feira (2). A falha registrada pelos passageiros é mais uma da Linha 7-Rubi que, pela contagem do SPTV, já teve 20 problemas esse ano.

O assistente comercial Diego Marques estava no trem e filmou a cena. O problema ocorreu por volta das 7h30. “Quando chegou em Pirituba eles pediram para evacuar o trem e sair, mas o trem andou todo o percurso com porta aberta”, relata.

Com uma faixa amarela no local da porta e dois seguranças da Companhia na frente, o trem saiu da estação Jaraguá, passou pela Vila Clarice e parou em Pirituba.

A plataforma da estação Pirituba ficou lotada. A auxiliar administrativa Cibele Rodrigues também registrou a cena. Ela mora em Franco da Rocha, na Região Metropolitana de São Paulo, e pega a Linha Rubi todos os dias. Segundo a jovem, as penas são diárias. “Três quatro vezes na semana, praticamente é sempre, é constante.”

A CPTM tem cinco linhas que por dia fazem 2600 viagens. Na contagem feita pelo SPTV, a rede apresentou 55 falhas esse ano – 20 só na Linha 7-Rubi que vai de Jundiaí até a Luz.

A maioria das falhas é nos trens. Foram problemas nas portas, nos freios, no sistema de energia que alimenta as composições. Na conta não entram os problemas causados por alagamentos como o da semana passada, que gerou confusão na Estação Palmeiras-Barra Funda.

O caso mais grave registrado pelo SPTV esse ano foi um incêndio em um vagão, na Estação Ribeirão Pires, da linha Turquesa, no ABC. Os passageiros saíram desesperados. Alguns passaram mal.

O porta voz da CPTM diz que os seguranças agiram de forma correta ao desocupar o trem só na estação Pirituba. E que a Linha 7-Rubi teve quatro falhas notáveis esse ano.


G1 – 02/03/2015

Comentário do Sinferp

Bem, empresa com novo presidente. Esperamos que com novas práticas.

Nenhum comentário: