domingo, 15 de março de 2015

SINFERP tem nova diretoria para o período 2015-2020

Maioria dos membros da nova diretoria do SINFERP
Em festa que reuniu diretores e familiares, foi empossada hoje, na sede do entidade em Presidente Altino, Osasco, SP, a nova diretoria do SINFERP - Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias de Transporte de Passageiros da Zona Sorocabana -, composta por: Éverson Paulo dos Santos Craveiro, Carlison Cesário da Silva, Paulo Eduardo Moretti, Almir Ferreira Bezerra, Carlos Alberto Alves Moura, Antônio José de Almeida, Ruy Lázaro Ferreira, João Carlos Pinheiro dos Santos, Manuel José Cavalcanti, Levi Lopes dos Santos, Domingos Lo Monaco, Natália Fernandes do Nascimento Gabriel, José Floriano de Araújo Junior, Laerso Leal da Silva, Carlos Alberto Carreiro, Heliano dos Santos Rocha, Francisco Eudes de Melo, Rodrigo Marques Rodrigues, Roberto da Silva, Sérgio de Souza Sobrinho, Douglas Cavalcante e Fred Madureira.

No solenidade de posse a diretoria reafirmou o compromisso de lutar pelos interesses dos ferroviários, mas também dos usuários de transporte de pessoas sobre trilhos, assim como de empenhar-se no resgate da memória e história das ferrovias.

7 comentários:

Veio_Ze disse...

parabéns a nova diretoria
voces sabem da minha alegria de ver este grupo briguento junto pelo ideal que nos sonhamos.
espero poder ajudar e sabem que sempre estaremos junto DEUS os abençoe ;ilumine;guie.
abraço e sorte a todos nós
Veio_Ze

SINFERP disse...

Contamos com essa ajuda, Veio Zé, pois segurar esta briga não é nada fácil.

NOVA INFO NEWS disse...

Parabéns que essa nova etapa venha com muitas alegrias e a certeza de que o está sendo feito é o melhor.

SINFERP disse...

Gratos, Nova Info News.

Anônimo disse...

Sindicato dos demitidos... KKKKKK

Marco disse...

Sindicato dos demitidos????

SINFERP disse...

A gracinha Anônima do comentarista igualmente Anônimo, Marco, está relacionada ao fato de a nova diretoria ter em seus quadros cinco diretores que foram demitidos pela CPTM. Quatro, na verdade, pois um deles foi reintegrado hoje, e por força de decisão do Judiciário, como certamente serão os quatro restantes, ferroviários, até que suas ações de reintegração sejam julgadas. Foram demitidos por não serem, digamos, muito dóceis aos interesses da CPTM.