terça-feira, 3 de março de 2015

Alstom inaugura sua primeira linha de produção de VLTs na América Latina, em Taubaté (SP)

A Alstom inaugurou uma nova linha de produção dedicada ao Citadis, seu modelo de Veículos Leves sobre Trilhos (VLTs), em Taubaté, no interior de São Paulo. A cerimônia de inauguração contou com a presença de autoridades locais, representantes da companhia e Henri Poupart Lafarge, Presidente mundial da Alstom Transport. Essa nova linha de produção – na qual a Alstom investiu cerca de R$ 50 milhões – atenderá ao mercado brasileiro e, em um futuro próximo, à América Latina, onde os projetos de VLTs estão a todo vapor. Quando estiver em operação plena, a fábrica irá gerar cerca de 150 empregos diretos.

Os primeiros VLTs a serem produzidos em Taubaté são parte dos 32 trens modelo Citadis encomendados para a cidade do Rio de Janeiro, para o consórcio do VLT Carioca, em setembro de 2013 [1]. Esse contrato é parte do projeto Porto Maravilha, liderado pelo município, para modernizar a zona portuária do Rio. A expectativa é que os modais sejam entregues entre 2015 e meados de 2016, a tempo para os Jogos Olímpicos.

A nova fábrica possui cerca de 16 mil metros quadrados e é capaz de produzir de 7 a 8 trens por mês. A unidade preza por boas práticas ambientais e utilizará, por exemplo, água proveniente de chuva para os testes feitos com água nos trens.

A Alstom já vendeu 1.900 Citadis para 49 cidades ao redor do mundo. 1500 já estão em circulação e já transportaram mais de 6 bilhões de passageiros.


[1] A Alstom fornecerá 32 VLTs Citadis sem catenária juntamente com fonte de alimentação, sistemas de sinalização e telecomunicações


Fonte: Alstom

2 comentários:

Paulo Lima disse...

Já fico feliz e ao mesmo tempo não muito feliz.
Feliz por pelo menos ter uma 1º Fabrica de VLT elétrico do Brasil, enquanto já tem outras de VLT a Diesel da Bom Sinal.
E triste, porque São José dos Campos não aproveita que já tem uma Fábrica perto, e retome a ideia do VLT. E ainda ficam insistindo no BRT?? Nem mesmo com uma fábrica de VLTs perto??
E triste também pela própria cidade de Taubaté, que nem mesmo tendo uma fábrica de VLT, não se falou mais da proposta de implantar VLT na cidade.
E REVOLTANTE(não triste, REVOLTADO!!!) que agora Cuiabá-MT quer disfazer tudo do VLT, e vender os trens. Para voltar a ideia do BRT.

Então não adianta, ter uma fábrica de VLT no País, sendo que só vão fabricar os VLTs para o Rio e Goiânia(olha que o governo de Goiás pode desistir do VLT, por falta de recursos. E preferir modernizar o atual BRT), talvez para 2º fase do VLT de Santos. E só? E depois disso?
Ou talvez essa fábrica, produzirá os VLTs para Europa e países vizinhos, enquanto nem mesmo no nosso território produzindo VLTs, agente ainda a merce desses ônibus lotados e no máximo só se modernizando com BRTs??
É uma vergonha, fico até triste.

SINFERP disse...

No caso de São José dos Campos já havia sido "financiado" um projeto para que o ITA atacasse de BRT.