quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Novos bondes de Santa Teresa, Rio, são penhorados por dívida trabalhista

foto André Gomes de Melo
Decisão foi publicada pelo Tribunal Regional do Trabalho. Secretaria diz que não foi notificada e que Procuradoria vai recorrer.

Os 14 novos bondes de Santa Teresa, previstos para voltar a circular na Copa de 2014, foram penhorados em decisão do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT1), publicada no fim de janeiro, por conta de dívidas trabalhistas.

A ação foi promovida pelo Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias da Zona Central do Brasil para quitar dívidas com operários, que chegam a R$ 78 milhões. A ré, a Companhia Estadual de Engenharia de Transportes e Logística (Central), ainda pode entrar com recurso para impedir a execução do leilão.

A decisão torna imprevisível a entrega do transporte, mais de três anos após o acidente que deixou seis mortos.

Secretaria vai recorrer

A Secretaria de Estado de Transportes informou que, até a noite desta terça-feira (10), não havia sido notificada pelo TRT sobre a decisão e que a Procuradoria Geral do Estado entrará com recurso. Segundo a secretaria, os bondes de Santa Teresa não são patrimônio da Central Logística, parte na ação. "Os bondes pertencem ao Estado do Rio de Janeiro, que não faz parte do processo em questão, e são destinados ao serviço público, portanto, impenhoráveis."

Os bondes, que chegaram a ser apresentados em uma solenidade polêmica, não podem passar por testes. Caso a determinação seja descumprida, a ré pode pagar multa diária de R$ 10 mil. Para tanto, os veículos precisam ser lacrados. A partir da ciência da penhora, a empresa tem 5 dias para entrar com recurso. Caso não recorra ou não pague a dívida, o leilão dos bens penhorados será marcado.

Apresentação polêmica

Da reforma dos 18 km previstos de traçado do bonde, apenas 1 km está concluído. Durante a apresentação dos veículos, em agosto passado, o subsecretário da Casa Civil, Rodrigo Vieira, disse que a Rua Joaquim Murtinho "está 100% pronta, faltando apenas colocar rejunte e acabamentos" e que faltam poucos ajustes na Rua Francisco Muratori, nos Arcos da Lapa e no Largo da Carioca. A solenidade, porém, foi marcada pela indignação.

Moradores realizaram um protesto, inclusive com ativistas fantasiados de palhaço, e apontaram buracos na via, calçadas danificadas e outros pontos que ainda demandam reparos. Sob vaias, gritos de "mentiroso" e outros insultos, o subsecretário foi hostilizado pelos moradores enquanto o bonde era puxado por um guincho ladeira acima. Policiais militares acompanharam o ato que, apesar de hostil, foi pacífico.


G1 – Gabriel Barreira - 10/02/2015

Um comentário:

Paulo Lima disse...

Que triste notícia, em relação ao VLT de Cuiabá.

http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=1&cid=223927