segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Passagens de ônibus, trens e Metrô sobem nesta terça em São Paulo

Enquanto isso...
Tarifa será reajustada em São Paulo e estudantes terão Passe Livre. Movimento Passe Livre agendou protesto contra reajuste para sexta em SP.

As tarifas das passagens de ônibus, trem e Metrô de São Paulo serão reajustadas a partir desta terça-feira (6). O valor da passagem passará de R$ 3 para R$ 3,50 nos ônibus municipais e transporte sobre os trilhos.

Apesar do aumento, o valor da tarifa de ônibus na capital paulista, que está congelado há 4 anos, ficará abaixo da inflação: se a tarifa fosse corrigida pelo índice de preços, o valor seria de R$ 3,75.

De acordo com a Secretaria dos Transportes Metropolitanos, o reajuste fica abaixo dos 17% da inflação acumulada desde o último reajuste, em fevereiro de 2002.

Já as tarifas do bilhete único nas modalidades mensal, semanal e diário (com validade de 24 horas) permanecerão congeladas nos valores atuais. O valor do bilhete único integrado com o Metrô e os trens da CPTM será de R$ 5,45.

Assim como fez a Prefeitura de São Paulo, o governo estadual também vai manter congelada em R$ 140 a tarifa do Bilhete Único Mensal Sobre Trilhos. O valor congelado fará que a modalidade mensal seja mais vantajosa do que antes. Apenas quem fazia a partir de 47 viagens por mês tinha benefício em usar o Bilhete Único Mensal para ônibus ou trilhos. Agora, a modalidade vai compensar para quem fizer a partir de 41 viagens.

Um trabalhador que vai e volta para o trabalho de ônibus, por exemplo, durante 22 dias úteis por mês terá benefícios se usar a modalidade mensal. Ele vai gastar agora R$ 154 para comprar as passagens avulsas. Porém, pagará R$ 140 para ter o Bilhete Único Mensal com viagens ilimitadas.

Para o Bilhete Único Integrado (trens, metrô e ônibus), a modalidade vale a pena para quem fizer a partir de 43 viagens por mês. Antes, era preciso fazer ao menos 50 viagens para esse tipo de cartão compensar.

Gratuidade

Os alunos de escolas e universidades públicas, além dos estudantes que participam de programas de Educação como o Prouni, Fies e demais cotistas, terão direito ao Passe Livre nos ônibus do município de São Paulo. No entanto, a gratuidade ainda não há data para começar, já que a Prefeitura terá que regulamentar a lei aprovada pela Câmara que autorizou o passe livre.
O governo do estado também tenta implementar a gratuidade a estudantes de escolas e universidades públicas, Etecs e Fatecs. Um projeto de lei, porém, ainda precisa ser aprovado pela Assembleia Legislativa para que a medida passe a valer.

Protestos

Em 2013, os governos estadual e municipal anunciaram um reajuste conjunto das passagens de ônibus, trem e Metrô para R$ 3,20. O aumento das tarifas foi o estopim para uma série de manifestações de estudantes e outros movimentos sociais pedindo a instituição do passe livre na capital. Várias destas manifestações terminaram em depredações dos patrimônios público e privado e em confrontos com policiais militares. Os governos municipal e estadual acabaram revogando o reajuste anunciado e mantendo a tarifa em R$ 3.

O Movimento Passe Livre já marcou novos protestos contra o reajuste da tarifa. A primeira manifestação deve ocorrer na próxima sexta-feira (9) em frente ao Theatro Municipal, no Centro de São Paulo, às 17h.

Veja o que muda:

Ônibus municipais: tarifa unitária passa de R$ 3 para R$ 3,50

Trem e Metrô: tarifa unitária sobe de R$ 3 para R$ 3,50

Integração: Aumenta de R$ 4,65 para R$ 5,45

Alunos de escolas públicas ou cotistas: redução dos 50% do valor da tarifa para isenção total

O que está indefinido?

Passe Livre: apesar de o prefeito Fernando Haddad ter afirmado que o benefício seria válido a partir do dia 6 de janeiro, a assessoria de imprensa da Prefeitura de São Paulo, diz que o benefício terá início do ano letivo após regulamentação da lei

Beneficiários: Inicialmente o benefício da isenção da tarifa seria concedido a todos estudantes de escolas e universidades públicas, agora a Prefeitura estuda limitar o Passe Livre somente para alunos carentes.


G1 – 05/01/2015

Nenhum comentário: