sábado, 27 de dezembro de 2014

Livre-se dos engarrafamentos, fuja das curvas e viaje de trem [em Minas Gerais – MG]

Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM) opera único trem de passageiros diário no Brasil que liga duas regiões metropolitanas: Cariacica (ES) e Belo Horizonte. Frota nova conquista os mineiros 
Todo mundo sabe que o mineiro invade o Espírito Santo nas férias. A proposta é que esta “tomada de território” seja feita de maneira diferente. Livre-se dos engarrafamentos, fuja das curvas e da perigosa BR-262, deixe o carro em casa e embarque na aventura de chegar à praia por meio dos trilhos. A Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM), da Vale, opera o único trem de passageiros diário no Brasil e liga Vitória, no Espírito Santo, e Belo Horizonte, em Minas. Em funcionamento desde 1907, o serviço incentiva o turismo e transporta cerca de um milhão de passageiros por ano com segurança e conforto. O trajeto percorre belas paisagens e passa por pontos históricos, como as cidades coloniais às margens do Rio Piracicaba e do Rio Doce, em Minas, até chegar ao litoral capixaba.

Rafael Fachetti, supervisor do trem de passageiros da EFVM, conta que este é “um ano especial para o trem” e de felicidade por ter sido inaugurado novos e modernos carros de passageiros com infraestrutura e tecnologia que garantem mais conforto aos usuários. “Agora, não há mais janelas, os vagões são 100% vedados, têm ar-condicionado e tratamento acústico em todas as classes (executiva e econômica)”, enumera. Os investimentos da Vale para a aquisição dos vagões foram de US$ 80 milhões. Foram comprados 56 novos carros (10 de classe executiva, 30 de classe econômica, além de carros restaurante, lanchonete, gerador e vagão exclusivo para portadores de necessidades especiais – cadeirante e pessoas com dificuldade de locomoção). Há serviço de bordo em todos os ambientes. Vale destacar que as cadeiras têm mesinhas e tomada para o uso de computador ou recarga do celular. Não há Wi-fi porque ainda não há disponibilidade de sinal.

A viagem completa tem 664 quilômetros e dura cerca de 13 horas. Mas não é para se assustar. Fachetti garante que o trajeto não é cansativo. “O tempo passa voando. Além da garantia do conforto, o trajeto é agradável, com paisagens belíssimas, vistas maravilhosas das regiões montanhosas, pontes... Sem falar na segurança. Temos zero de ocorrência, nenhum acidente registrado e nada de engarrafamento. E serviço de bordo com café da manhã, almoço e jantar com preço atrativo e cardápio variado”.

PASSAGENS O supervisor conta que a procura cresce durante o período das festas de fim de ano e, por isso, há um aumento de 55% na oferta de carros. “A demanda é principalmente de grupos, de família e amigos. Mas o público é sempre variado. Os preços das passagens são excelentes e recomendo comprar com antecedência, porque de dezembro até o fim do carnaval temos dias com passagens esgotadas. Ainda mais com a facilidade de comprar pela internet”, comenta. Durante o deslocamento, há diversas paradas, mas Fachetti lembra que são basicamente para embarque e desembarque de passageiros, já que o itinerário é fixo e há horário a ser cumprido.

Horários

Todos os dias, dois trens de passageiros circulam pela EFVM: um sai de Cariacica, na Região Metropolitana de Vitória (ES), às 7h, e chega a Belo Horizonte (MG), às 20h10. O outro parte da capital mineira às 7h30 e encerra a viagem às 20h30. A EFVM dispõe de um serviço adicional que faz o percurso entre as cidades de Itabira e Nova Era, ambas em Minas, e faz conexão com os dois trens da linha principal.

Passagem

A partir de 2 de janeiro, a passagem na classe econômica entre Belo Horizonte e Vitória custará R$ 62. Na classe executiva, o valor é R$ 95.

Além de poder comprar passagens em mais de 30 pontos ao longo da linha, o passageiro pode adquirir bilhetes pela internet, por meio de cartão de crédito. Para isso, é preciso entrar no link da Estrada de Ferro Vitória a Minas pelo endereço eletrônico www.vale.com/tremdepassageiros.

664km é o percurso completo do Trem de Passageiros
30 pontos de embarque e desembarque
42 municípios atendidos
1 milhão de passageiros transportados por ano (média histórica)

Cidades históricas

Turistas e mineiros têm outra opção de viagem sobre os trilhos em Minas. Com 18 quilômetros de extensão, o Trem da Vale ajuda a contar a história e difundir a cultura e as belezas naturais entre as cidades históricas de Ouro Preto e Mariana, na Região Central do estado. Todo o complexo arquitetônico, do qual o trem faz parte, foi revitalizado em 2006 e abrange duas estações, além de uma completa estrutura de entretenimento. Com a demanda das férias, o passeio turístico terá mais horários disponíveis este mês e em janeiro. Além dos dias normais de circulação (sexta-feira, sábado e domingo), em cinco quintas-feiras haverá circulação de um trem partindo de Ouro Preto e outro de Mariana. Os dias de viagem extra são 8, 15, 22 e 29 de janeiro. Até 10 de fevereiro serão 96 viagens. Nas quintas-feiras, o trem partirá de Ouro Preto às 10h e de Mariana às 15h. Nas sextas e sábados, a composição parte de Ouro Preto às 10h e às 14h30, e de Mariana às 13h e às 16h. 

Aos domingos, serão cinco opções: partindo de Ouro Preto às 10h, 13h30 e às 16h30, e de Mariana às 11h30 e às 15h. A viagem dura cerca de uma hora e passa por vales, túneis, cachoeiras e paredões de pedras, cenários típicos de Minas. O trem tem capacidade para 300 pessoas. As passagens convencionais custam R$ 40 (ida) e R$ 56 (ida e volta). No vagão panorâmico, as viagens custam R$ 60 (ida) e R$ 80 (ida e volta). Estudantes e maiores de 60 anos, com documentos, pagam meia-passagem. Crianças até 5 anos não pagam, e de 6 a 12 pagam meia. Os bilhetes podem ser adquiridos nas estações ferroviárias de Ouro Preto e Mariana, ou no Centro Cultural e Turístico da Fiemg, na Praça Tiradentes, em Ouro Preto. Mais informações: www.tremdavale.org ou pelo telefone (31) 3551-7705, que pode ser usado para fazer reservas de quarta a sábado, das 9h às 17h.


Estado de Minas – Lídia Monteiro - 23/12/2014

2 comentários:

Paulo Lima disse...

Pelo menos é única linha de trem de passageiro diário, que liga duas capitais de estados, e passando por importantes e grandes cidades no caminhos, como Ipatinga(MG) e Gov Valadares(MG). Apesar de quase todos trens de passageiros tido sido erradicados no país tudo para atender interesses de montadores automobilística e Cias Aéreas, pelo menos essa é unica que manteve graças a Vale que por "alguma bondade" deixou "vivo" os trens de passageiros, e também graças a mobilização forte de várias pessoas que com certeza fizerem um forte movimento no passado(talvez entre as décadas de 70 até 90, quando estavam "morrendo" os trens de passageiros) contra a retirada dos trens de passageiros nessa linha entre Belo Horizonte a Vitória.
As outras linhas que tem no Brasil dedicado ao passageiro, na verdade são só trens turísticos e não visado a trens de viagens diárias. O que deveria ter mais no país, é trens de passageiros de forma diária como esse da Vale. E não ficar esperando a nossa Titia Dilma tirar esse Trem-Bala e o nosso Amigão Alckimim tirar um dia o Trem-Regional(já teve tantos estudos, primeiro era Trem-Bandeirante, agora Trem-Regional e agora NA CARA DE PAU chamam de "InterCidades" que um dia vai ligar Santos - Santo André - Sao Paulo-Jundiaí - Campinas - Americana. Ohh, que legal!!! Quando vai sair do papel??? Ehhh Alckimin??).

SINFERP disse...

A Vale manteve o que já era dela. Fez a mesma coisa entre Carajás (PA) e São Luiz (MA). Aqui vai ficar na promessa.