domingo, 19 de outubro de 2014

Gerente da CPTM envolvido em cartel de trens é afastado

Enquanto isso...
A companhia Paulista de Trens Metropolitanos afastou o gerente de Engenharia de Manutenção, Henry Munhoz, após a revelação de e-mails de 2011 obtidos pelo jornal Folha de S.Paulo que mostram que o funcionário da estatal de trens tinha relações comerciais com as empresas acusadas de fazer parte do cartel que atuou no Estado de São Paulo entre 1998 e 2008.

A publicação já havia revelado em 12 de outubro a descoberta de uma mensagem eletrônica de 2001, que apontava que Munhoz, na época assistente técnico da CPTM, havia dado informações confidenciais sobre os planos da estatal à empresa MGE (investigada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica - Cade) e garantido que iria ajudá-la a realizar os projetos que lhe interessavam. 
Os novos e-mails revelados pelo jornal foram encontrados em outra empresa acusada de fazer parte do cartel, a Temoinsa.
As primeiras mensagens foram trocadas entre Munhoz e um funcionário da empresa MPE - outra companhia investigada -, Rodrigo Lobo, em janeiro de 2011. Na mensagem do dia 7, Lobo pedia a Munhoz a apresentação de uma "proposta comercial" no valor de R$ 7,3 milhões para a prestação de serviços de substituição de peças de uma das frotas do Metrô.
Em mensagem de 13 de janeiro, Munhoz respondeu que "o orçamento para a prestação de serviços ficou em R$ 154.800, dividido em 24 parcelas mensais de R$ 6.450" e que um empecilho para a realização do negócio poderia ser resolvido com a participação da empresa Temoinsa.
Em outro e-mail, o executivo desta empresa, Wilson Daré, sugere a Rodrigo Lobo a elaboração de um contrato de prestação de serviços entre a MPE e a empresa Fator, ao que tudo indica, relacionada à Temoinsa, para que o impasse "dos faturamentos solicitados" por Munhoz fosse solucionado.
Os e-mails aos quais a Folha de S. Paulo teve acesso foram encontrados em julho de 2013 durante as investigações iniciais sobre o cartel dos trens, iniciadas em maio do mesmo ano após a multinacional Siemens revelar ao Cade participação no esquema.

Questionada pela Folha sobre os e-mails obtidos pela reportagem, a Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos afirmou que uma sindicância interna foi aberta para que os fatos possam ser investigados.


Jornal do Brasil – 19/10/2014

7 comentários:

Anônimo disse...

PSDB

Vamos parabenizar o Governo do Estado de São Paulo pela orientação dada a CPTM para atuar desta forma.

Vale ressaltar que existem duas possibilidades a partir deste ocorrido, ou seja, calar o indivíduo afastado e inocentá - lo, ou varrer a sujeira existente dentro da CPTM, tendo como parâmetro o descrédito das decisões com cartas marcadas das Comissões de Sindicância da CPTM lideradas pelo traste do Piantola.

A terceira hipótese pouco provável, sugere que após as eleições, como não existe mais risco pelo fato do governador estar eleito com mais de 60 % de votos, êles irão fazer a limpa e tirar todos os envolvidos; a exemplo, Lavorente, Sumida, Jurandir e outros B.S.

Como eu não acredito em milagres.... prefiro ser cauteloso...

SINFERP disse...

Não acreditamos minimamente em sua terceira hipótese. Mais provável é que tudo não passe de mais um ataque irresponsável de vândalos e sabotadores contra a honra de um inocente. Nunca, nunca vimos alguma coisa contra a CPTM dar em alguma coisa que não fosse o fundo de uma gaveta. Até mesmo morte de ferroviários não deu em nada. Todos os mortos - e que não são poucos - foram sumariamente "culpados" pelas próprias mortes.

Anônimo disse...

henry envolvido em algo? será?

SINFERP disse...

Gente. Ninguém na CPTM ou em qualquer outra empresa administrada pelo Estado envolve-se em qualquer outra coisa que não seja o irrestrito e abnegado cumprimento do dever. Todos que contra eles levantem a menor suspeita são baderneiros, arruaceiros, sabotadores, vândalos, difamadores, etc. Nosso governo e seus agentes são sempre vítimas dessas forças do mal, que visam apenas macular o bom nome das instituições e criar indisposição gratuita. Até São Pedro resolveu fazer parte dessa horda de desestabilizadores e está boicotando as chuvas, não é?

Anônimo disse...

Se fosse peão, já teria tomado uma justa causa.

SINFERP disse...

Que maldade... Ninguém toma justa causa na CPTM. rsrsrsr

Anônimo disse...

como pode, ser tao grande essa cara de pau dos diretores da CPTM, que posam de honestos, mas sao todos gananciosos pelo contratos que sao gestores, pos a comissão pode ser alta.