quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Padilha quer retomar transporte de passageiros sobre trilhos com PPP no Estado de São Paulo

Petista pretende recuperar malha ferroviária paulista utilizada para cargas. Lideranças do PT se unem para alavancar candidatura de ex-ministro.

O candidato ao governo de São Paulo  pelo PT, Alexandre Padilha, anunciou na tarde deste sábado (30) uma proposta de PPP (parceria público-privada) para resgatar o transporte de passageiros sobre os trilhos entre as cidades do estado. O projeto nomeado de “Trem Intercidades” quer ligar a capital paulista com a Baixada Santista e interior paulista.

“Você já tem uma malha ferroviária instalada no interior do estado e no litoral de São Paulo que não é utilizada para trens de passageiros. Nós vamos ter um grande programa em parceria com a iniciativa privada de usar essa malha também para trens de passageiros entre as cidades”, anunciou Padilha, após encontro com jovens de Heliópolis, na Zona Sul de São Paulo.

Caso seja eleito, Padilha promete recuperar 1.400 quilômetros de malha ferroviária, que atualmente transporta cargas, para a locomoção de passageiros. “Tem espaço na grade dessa malha para implantar o trem de passageiros”, afirmou. Segundo ele, o custo da tarifa seria mais barata do que o valor cobrado pelos ônibus.

Padilha aproveitou o sábado ensolarado para realizar caminhadas em três pontos distintos da Zona Sul. Durante o evento realizado em Vargem Grande, no extremo sul da cidade, ele anunciou que pretende concluir as obras do trem da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) na estação Varginha e levar o transporte até o bairro Colônia. Ao mencionar as obras de modernização e extensão dos trens em São Paulo, Padilha não poupou críticas ao atual governador Geraldo Alckmin (PSDB).

“O atual governo do estado foi incapaz de modernizar a CPTM até a periferia não só da capital, mas da região metropolitana. O governo federal colocou os recursos do PAC [Programa de Aceleração do Crescimento] disponíveis para realizar mais de 19 modernizações de trem da CPTM e o governador, assim como foi lento para entregar o Metrô, lento para entregar as obras da água, também foi lento para modernização dos trens da CPTM”, condenou o adversário.

De acordo com o petista, o dinheiro disponível pela União não foi utilizado. “São R$ 35 bilhões que ficaram disponíveis nos governos Lula e Dilma e o governo do estado tem lentidão em executar esse recurso. Eram mais, eram quase 2 dezenas de estações da CPTM que andam a passos lentos ou não andam”, declarou ele.


G1 – Tatiana Santiago - 30/08/2014

7 comentários:

Anônimo disse...

a ideia é boa até a hora que chega nas 3 letrinhas : PPP.

o poder publico nao precisa da iniciativa privada para esse tipo de obra, e o entreguismo ao setor privado fez o que fez com a malha ao qual o padilha mesmo se refere como sub-utilizada.

Anônimo disse...

PPP igual ao PSDB, para aqueles que ainda vêem diferenças entre os partidos, não adianta se iludir, com Alckmin, Skaf ou Padilha tudo continuará do mesmo jeito.

Lucas disse...

Bem, pelo menos ele tem propostas, assim como o Skaf. O Geraldo Alckmin nem menciona trens para o interior em suas propostas. O negócio dele é mais rodovias e pedágios.

Prefiro ficar com a esperança de alguma mudança do que com a certeza de que vai continuar tudo na mesma.

Leoni disse...

Causa-me estranheza e perplexidade as incursões de Alkmin pelo ABC, a caça de votos com mais um festival de promessas eleitorais que não são cumpridas, lembrando que o PSDB está no poder em SP a no mínimo a 20 anos, durante este período desde a criação da CPTM, a região só teve perdas, como:
Desativação da estação Pirelli, Fim dos trens para Santos, Fim dos trens regulares para Paranapiacaba, Fim dos trens regulares para Francisco Morato, Fim dos trens regulares para Barra Funda, Fim do trem expresso Mauá Luz, Fim dos trens regulares para a Luz, além de colocar na região aqueles trens espanhóis usados e que se pagou pelo preço de novo!!!

Mais algumas promessas não cumpridas; Linha 13-Jade, Santo André Guarulhos (Cumbica) também chamada de Linha 14-Onix, Monotrilho Linha 18-Bronze.

Consta do próprio blog da CPTM (Já do ano de 2013) de que a linha 10-Turquesa possui mais passageiros, mesmo ainda não tendo entrado em operação os monotrilhos da Linha 18-Bronze, e Linha 15-Prata com relação á Linha 7-Rubi, a escolhida para permanecer na Luz.

É prioritário e fundamental para implantação das composições de dois andares até a Barra Funda reformar e ampliar as Estações da Mooca e Água Branca, readequar a Júlio Prestes e construir a do Bom Retiro (que englobariam as seis linhas existentes além dos futuros trens regionais). Tal atitude beneficiaria “TODAS” as linhas metrô ferroviárias, e descentralizaria e descongestionaria a Luz.

Seria uma decisão sensata, racional, e correta porque falar em conforto para uns e outros irem esmagados não tem o menor sentido.

Além de se evitar um risco maior, seria uma forma de aliviar este "processo crônico de sardinha em lata".

"Quem procura a verdade corre o risco de encontrar" Manuel Vicent

SINFERP disse...

Só teve perdas mesmo, Leoni. Sem contar o fato, e insistimos nisso, que os trens novos são produto de compra, e não de demonstração de capacidade gerencial da empresa que não seja a de comprar. Estações são reformadas, e mesmo refeitas, mas nelas nada se vê de inovador - nem na arquitetura (que já foi melhor), e nem na funcionalidade. Agora, pelo tudo indica, teremos mais quatro anos do mesmo com os mesmos, e os novos postulantes nada apresentam que nos permita crer algo de melhor.

josé roberto Affonso disse...

parece igual ao Afif Domingues só BLA-BLA-BLÁ........e as ferrovias para passageiros vão sumindo sumindo sumiu!!

SINFERP disse...

Nenhum deles que mexer com isso, José Roberto. Dá nojo assistir a todos nas propagandas eleitorais.