sábado, 16 de agosto de 2014

Governo precisa refazer estudos se quiser trem-bala, diz TCU

Oito anos depois, o governo insiste em dizer que o projeto do trem de alta velocidade ainda está ativo. Não por acaso, o projeto continua a figurar na lista das obras prioritárias no balanço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), onde recebe o "carimbo verde", para atestar que está adequado e em andamento.

Se a intenção, de fato, é levar o projeto adiante, o governo terá, efetivamente, de recomeçar tudo do zero. Nesta semana, o Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu que o estudo de viabilidade técnica e econômica que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) apresentou pode ir para o lixo.

A conclusão é de que, passados tantos anos desde que o processo teve início, simplesmente não há mais informações que façam aquele projeto parar em pé. Os estudos do trem que pretende ligar as cidades de Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro foram apresentados ao TCU em 2009. À época, custaram R$ 29,1 milhões aos cofres públicos.

"Sob o viés tecnológico, o decurso de cinco anos pode significar o surgimento de novas tecnologias com melhor relação custo-benefício ou o barateamento de diversos equipamentos causado pela difusão tecnológica", declarou em seu voto o ministro-relator Benjamin Zymler.

Ele também chamou atenção para a definição da taxa de retorno do investimento previsto nos estudos. A taxa proposta era de 7% ao ano, quando as mais recentes concessões de transporte do governo elevaram essa taxa para 8%. "Não estou com isso defendendo a utilização desses valores, até mesmo porque as variáveis dependem do serviço público objeto da concessão, mas apenas que a conjuntura econômica pode ser diversa da existente em 2009", disse.

O tribunal chamou atenção ainda para outras mudanças, como crescimento populacional, renda per capita, rede de transportes atualmente existente (aéreo e rodoviário), quantidade de automóveis por habitante, acessibilidade aos diversos modais de transporte, entre outros.

"Caso o poder concedente retome a licitação do objeto em apreço, envie ao Tribunal novo estudo de viabilidade devidamente atualizado", determinou a Corte de Contas. O leilão do trem-bala passou por sucessivos adiamentos. O mais recente deles ocorreu um ano atrás, quando o cronograma foi suspenso por tempo indeterminado.

Embora a decisão do TCU esteja direcionada à ANTT, a agência informou, atualmente, que quem trata do assunto é a Empresa de Planejamento e Logística (EPL), estatal vinculada ao Ministério dos Transportes. Perguntada sobre a decisão do tribunal, a EPL não se manifestou até o fechamento desta matéria.


O Estado de São Paulo – 07/08/2014

10 comentários:

Lucas disse...

Interessante. O que cada candidato ao governo de SP disse sobre o transporte sobre trilhos:

http://glo.bo/1mQhgAI

Paulo Lima disse...

De todo jeito, com TCU ou sem TCU, o Projeto iria mesmo voltar para Estaca Zero.

Paulo Lima disse...

Pessoal, tudo bom?
olhe a mensagem que mandei para equipe do Governo de MT, a respeito do VLT de Cuiabá. Primeiro parabenizando pela escolha do modal, e me mostrei insatisfeito pela atual ritmo das obras que não anda nada bom.
E até falei, se o VLT de Cuiabá(MT), Santos(SP) e Rio de Janeiro ficarem prontos. Vai dar exemplo para o Brasil, para que outros Prefeitos não fiquem só focado no BRT.

E gostaria muito que vocês meus amigos aqui do Blog(com certeza poucos terão interesses.... porque não é em São Paulo,e só porque e lá em Mato Grosso. Eu penso, que na verdade é no Brasil, no nosso País), nos ajudasse também mandando mensagem ao Governo de MT, mostrando insatisfeitos pelo atual ritmo lento das obras. E para pressionar, para que os ritmos dos trabalhos voltem.
Gostaria muito da ajuda de vocês, e que todos nossos amigos aqui além de gostar de trem e lutar muito pela volta dos trens de passageiros , que também devem gostar de VLT.
Porque se nós nao fazemos nada e só reclamamos por trás(o Brasileiro tem essa mania, reclama mais não age), o Governo não faz nada para cumprir os prazos e vei deixando prorrogando sem parar , ou seja, deita e rola.

Obrigado a todos!

Aqui está a copia do E-mail que mandei e a equipe do Governo, agora vemos ver se eles vão me responder (se vão mesmo?).

Paulo Lima disse...

"Boa Noite a todos da equipe da SECOPA e Governo, e de quem é responsável pelo VLT. Sou Paulo Humberto, de Campinas(SP), Estudante de Arquitetura e Urbanismo, um Ferrofã(apaixonado por trens) e estou sempre acompanhando como anda as obras do VLT. Apesar que nunca pisei em Cuiabá, pretendo ir a Cidade só para conhecer o VLT, tenho muita vontade de conhecer esse modal quando estiver concluído.

Gostaria primeiro de parabenizar, pela escolha do VLT para Capital de MT, que nao foi nada fácil perante ao MP que na época em 2012 tentou embargar as obras, das pessoas que eram contra (pra mim, são contra sem saber o que é o modal) e os Lobby Rodoviaristas que sempre vão ser contra o transporte ferroviário. E esperamos que esse exemplo do VLT em Cuiabá, se espalhe para mais Cidades Brasileiras e que o Brasil tenha Cidades com destaques em "Bondes Modernos" como as Cidades Europeias. E que os nossos Políticos não só pensem no BRT e Corredores de ônibus como única Solução , só porque é mais barato para implantar e rápido para construir (se depender da situação, as vezes o BRT sai mais caro que o VLT) , ou seja, essa mentalidade tem que mudar. E acredito muito que os VLTs de Cuiabá(MT), Santos(SP) e Rio de Janeiro, vão dar exemplo nacional em Mobilidade Urbana Sustentável, e que agrada ainda mais a questão Urbana. Por exemplo, se o BRT de Curitiba(PR) é exemplo Nacional. O VLT de Cuiabá(MT) também pode ser exemplo Nacional. Quem sabe um dia? E outra, sem falar o bom legado que ele deixa a longo prazo para uma Cidade, ele pode até ser mais caro para implantar, mais na hora da manutenção e operação é muito mais barato, do que manter os ônibus.

Paulo Lima disse...

2º PARTE -

Agora, o que está me deixando muito indiginado, e a população da Cidade também devem sentir o mesmo.É a respeito do atual ritmo das obras, que caiu muito depois que acabou os jogos da Copa. Até que saiu na Imprensa, que as obras estão quase parando e tendo poucos operários, e correndo o risco de parar de vez. E até eu mesmo brinco falando com meus amigos, que "A Novela do Metrô de Salvador, pode se repetir no VLT de Cuiabá" se as obras não aumentarem seu ritmo. E esperamos que não, que cujas obras sejam concluídas quanto logo o mais breve possível, para que a população não tenha transtorno, e que toda merecida população tenha um transporte moderno, rápido, tecnológico, sustentável ,gradativo ao meio urbano e que com a paralisação das obras não se torne um "Prato Cheio" para esses defensores do BRT(Políticos de Oposição, Jornalistas de Imprensas de "chapas brancas" que só fazem reportagens "negativando o VLT" e Busólogos que são pessoas fãs de ônibus que são Anti-VLT(ou seja, só defendem transporte Rodoviário) e sempre são contra o VLT. E outra, já que os Sistemas de Bonde Moderno(VLT) está com imagem queimada no País, desde que o VLT de Campinas(SP) não deu certo e se tornando um "Prato Cheio" para as pessoas que vêem só BRT como solução. Esperamos que com o VLT de Cuiabá um dia em operação e dando certo integrando bem o transporte público da Região. A cuja imagem do VLT pode mudar, ou seja, se reverter, e que as pessoas não só pense no transporte rodoviário como única Solução.

Sobre o atual ritmo dos trabalhos do VLT, muitos falam que cujas obras estão quase paradas, e tem trechos estão até há meses parados. E para Nós que sempre defendemos o VLT nas Cidades , é uma grande decepção de ver que os trabalhos não andam, e os prazos sempre vão prorrogando. Sabemos que para Copa não ficou pronto(com prometido). O que eu pessoalmente penso , e cujo modal vai ficar para População da Cidade e não é exclusivo só para Copa , o que melhore historicamente o transporte Público de Cuiabá e Várzea Grande. E pelo menos, graças ao uso da Copa, fez que esse Projeto e além outros de infraestrutura, saísse do papel com facilidade, porque se não fosse a Copa, esses Projetos só iria ficar no "Sonho" e só sairia do papel talvez, só daqui a longo prazo em 20 anos. E graças a Copa, antecipou esses projetos, e espero que daqui pra frente melhore a qualidade de Cuiabá e região.

Sobre a situação das obras, gostaria de saber de vocês, o porque os trabalhos perderam o ritmo? Qual motivo que atrasa o andamento das obras?

E se tem alguma previsão para retomar o ritmo acelerado, das obras do VLT?

E outra, entendo que estamos em período eleitoral e essas obras acabam sendo usadas como "tema" dos Candidatos(ou seja, todos prometem que vão terminar as obras, como se fosse muito fácil. Entendo que não é.). Mais sabemos que para tirar do papel , não é fácil e sempre há burocracias legais a resolver (sempre obedecendo as Leis brasileiras). E sei que foi assinado em TAG para que cujas obras sejam concluídas até 31 de dezembro de 2014, pessoalmente nao acredito que esse prazo seja cumprido, porque com o ritmo lento das obras preocupa.

Paulo Lima disse...

3º PARTE e última -

Uma boa dica: Seria interessante e daria até mais transparência para quem quer acompanhar as obras do VLT e outras trabalhos. Que todo mês, fosse publicada atualização de fotos de acompanhamento das obras e até videos do Youtube no Canal de vocês da SECOPA e do Governo de MT, mostrando como anda a evolução das obras a cada mês. Até que tem no site da Secopa, eu achei meio desatualizado e não tem atualização frequente (com fotos antigas de 3 meses atrás, por exemplo) , e seria interessante nem mesmo após o término da Copa, que a população e Internautas que estão na torcida pela conclusão das obras continuasse acompanhando os trabalhos, principalmente através do Site. E assim , algumas Imprensas que só fazem crítica as obras do VLT, falem ao contrário do andamento dos trabalhos até chegar a sua conclusão, ao acompanhar os trabalhos.

Um Grande Abraços! Apesar de estar decepcionado pelo atual ritmo das obras, estou muito na torcida pelo VLT de Cuiabá, e até hoje me sinto feliz de ver que o VLT foi escolhido para Cidade, ao invés de BRT ou mais um simples Corredor de ônibus. Agora o que pedimos a vocês responsáveis pelo VLT, que cujas obras volta a ter ritmo e que quanto logo,venha a conclusão. E eu mesmo pessoalmente , pretendo viajar para Cuiabá , só para conhecer o VLT. E muita gente do Brasil todo que gostam muito de VLT e até Prefeitos de outras Cidades que querem fazer visitas técnicas ao VLT, para conhecer o modal e levar a cuja experiência as suas Cidades. Cuiabá vai receber muitas visitas técnicas e até pode atrair o Turismo(assim vai beneficiar Hoteis, Comércios e restaurantes da Cidade. Ou seja, esses mesmos Estabelecimentos que antes reclamavam do transtorno das obras, vão agradecer o VLT que vai atrair mais as pessoas que vão consumir).

Muito obrigado pela atenção! E espero que as obras volte a ter ritmo e quanto logo venha sua conclusão. E que esse TAG assinado entre a SECOPA e MP, seja realmente cumprido. Muito grato, espero respostas da Equipe de vocês, estou no aguardo.

Grato!

Thiago nunes viana disse...

esse trem bala parece ter bastante munição pra dar tiros no pé!!!

Leoni disse...

O ministério público (TCU) agiu no meu modo de entender de forma correta ao entender que “O governo precisa refazer estudos se quiser o TAV” (Agosto de 2014).
Não faz sentido se preocupar com transferência de tecnologia ferroviária por uns poucos trens, temos provavelmente aqui instalada a maior quantidade de indústria automobilística multinacional do mundo, e não exigimos delas isto, a não ser que se queira criar a Ferrobrás, uma estatal com prazo curto para falir ou ser vendida em breve a preço de banana, muito diferente do acordo da EMBRAER com a SAAB da Suécia com relação aos jatos Gripen, em que se formara uma “joint venture”, esta sim tem tudo para ser uma próspera parceria.
Os trens regionais tem a função de complementar e auxiliar, principalmente pelas cidades não atendidas pelo TAV, só em São Paulo o sistema metrô ferroviário movimenta 7,2 milhões de passageiros diários.
Não devemos confundir os propostos trens regionais com *tecnologia pendular de até 230 km/h com os que existiam antigamente no Brasil e que trafegavam no máximo a 80 km/h, ou com este que esta sendo implantado atualmente pela Vale entre Vitória a Minas com 664 km com estimativa anual de 1 milhão de passageiros, e que por varias razões operacionais trafegam entre 45 e 65 km/h com tempo de viagem de ~13 horas, isto nos leva a conclusão que o “Sistema metrô ferroviário paulista movimenta 7,2 vezes mais passageiros por dia, do que este trem por ano” !!!
Considerações;
1ª Categoria de velocidade de até 250 km/h é considerada trem regional, *TAV é classificado com velocidade acima de 250 km/h baseado neste fato, podemos concluir que não existe TAV nas Américas, e muitos que aparecem como exemplos de TAV como Acela, Alfa Pendular, Talgo, e principalmente a maioria dos de dois andares que são os mais indicados (double decker), são na realidade trens regionais.
2ª Já faz algum tempo que se encontra em desenvolvimento no pelo mundo para o TAV, inclusive no Brasil, (Maglev Cobra) o TAV, (acima de 250 km/h), porém todos eles utilizando “Obrigatoriamente o sistema de levitação magnética”, portanto corremos o risco de estarmos implantando com um alto custo utilizando uma tecnologia obsoleta e ultrapassada, se for mantida a proposta atual com rodeiros e trilhos em bitola (1,43 m) e largura da carruagem (~2,8 m) divergentes das existentes no Brasil para o futuro TAV.
Em uma concorrência governamental recente da CPTM-SP, os valores cotados pelas montadoras nacionais, ficou nos absurdos ~80% superior aos praticados pela indústria chinesa e em relação ao fornecimento recente para a SUPERVIA-RJ e as carruagens já vieram na bitola de 1,6 m e na largura de ~3,15 m sem a necessidade de se adaptar estribos nas portas (gambiarra) para compensar o vão com a plataforma, ou seja exatamente conforme as condições brasileiras, sepultando os argumentos de custo menor dos defensores deste padrão europeu.
Já tive a oportunidade de viajar em vários destes no Metrô Rio, e a qualidade de acabamento interno / externo, ar condicionado, portas, iluminação, circuito interno de TV funcionando perfeitamente me causaram uma ótima impressão.

Paulo Lima disse...

Olha a falta de conhecimento desse Jornalista!!!! Nem sabe o que é um VLT, ou está fazendo matéria a favor dos BRTs!!! O engraçado que ele é de Cuiabá que já está implantando o VLT, e ainda insiste em falar mal do VLT e sugerindo BRT. Meus Deus! Rsrsrrs...

Se voçes quiserem publicar, agradeço muito! Se não, mesmo assim agradeço por pelo menos vocês estarem sempre ciantes disso, que sempre haverá Jornalistas de "chapas brancas" que nem sabem o que estão falando.

Link:

http://www.diariodecuiaba.com.br/detalhe.php?cod=456705

Obrigado Sinferp!!

SINFERP disse...

Rever projeto é ótimo, Leoni, o problema reside no custo desses estudos. Logo mais sai o preço do próprio trem bala. Aliás, o que a tal empresa criada pelo governo consome por mês, mesmo sem um projeto para administrar, não está escrito.