segunda-feira, 7 de julho de 2014

Viadutos do VLT em Cuiabá (MT) correm risco de fissuras

Relatório técnico divulgado na última semana pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) aponta risco de fissuras em dois viadutos do conjunto de obras para implantação do metrô de superfície Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) na Grande Cuiabá. O risco foi constatado nas estruturas que sustentarão a via permanente de trilhos na avenida João Ponce de Arruda, em frente ao Aeroporto Marechal Rondon, e na avenida Fernando Corrêa da Costa, no trecho de acesso ao campus da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

Técnicos do tribunal apontaram a inexistência de juntas de dilatação dos trilhos instalados nos dois viadutos, tanto no da UFMT quanto no que se localiza em frente ao aeroporto, em Várzea Grande, cidade da região metropolitana de Cuiabá.

As juntas são espaços propositalmente deixados entre partes da mesma estrutura a fim de que os materiais possam se movimentar ou se expandir por dilatação térmica sem comprometer a totalidade da obra. A ausência desse espaço é fator que propicia a ocorrência de fissuras na estrutura.

Segundo os técnicos do TCE, os dois viadutos possuem juntas de dilatação nas estruturas de concreto, mas os mesmos espaços inexistem nos trilhos – os quais deveriam seguir a mesma lógica das juntas de dilatação do concreto.

“Tal patologia impedirá a livre movimentação da estrutura de concreto, causando-lhe fissuras”, prevê o relatório técnico do tribunal.

Como evidência desse risco, os técnicos anexaram ao relatório a imagem de uma fissura aparentemente leve, mas já visível, no concreto do viaduto do Aeroporto.

“O viaduto da UFMT encontra-se também concluído e apresentando a mesma patologia observada no viaduto do Aeroporto”, complementam os técnicos no relatório.

No viaduto da UFMT, batizado de Jornalista Clóvis Roberto, a mesma falha já havia sido identificada no ano passado, antes mesmo de sua inauguração. Avaliação feita pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) apontou que as juntas de dilatação haviam sido mal executadas, de forma que já estavam provocando o aparecimento de fissuras no concreto e comprometendo a sustentação da estrutura elevada.

Além disso, o Crea confirmou problemas que comprometiam a vazão de água da chuva e de acabamento da obra, já evidentes a olho nu. Neste aspecto, as principais falhas estariam na passarela para pedestres. Em dezembro, antes de inaugurar a obra, o Consórcio VLT, responsável pela execução, informou que estava corrigindo as falhas.

Em resposta, a Secretaria Extraordinária da Copa (Secopa) informou que todo e qualquer defeito constatado na execução do projeto do VLT será corrigido graças a uma garantia vigente sobre a obra.

Comentário do SINFERP


São tantas as críticas e denúncias em torno do VLT de Cuiabá, e desde a fase de projeto, que não é possível o que há verdadeiro e de falso nelas todas.

5 comentários:

Pregopontocom@tudo disse...

Só queria fazer uma pergunta que me deixa encafifado...No caso de um metrô que trafegue em elevados,onde os trilhos são "obviamente soldados" como seriam essas juntas de dilatação?....,sinceramente é a 1ª vez que vejo falar nisso,conheço junta de dilatação para concreto,mais para trilho nunca ouvi falar!!!!!.Será que o nosso ilustre Prof. Peter Alouche poderia nos tirar essa duvida?....caso contrário recorrerei aos "universitários"...rrssss....desculpem a minha ignorância......

SINFERP disse...

Também não sabemos opinar sobre isso, Pregopontocom

Paulo Lima disse...

Pois eh, cada vez mais a Mídia tentando queimar a Imagem do VLT, para que o assunto se torne um "prato cheio" para os Defensores dos BRTs e para fazer ataque Político (briga de Base X Oposição).
Eu sei que a imagem do VLT já está queimada faz anos só porque o VLT de Campinas não dei certo, e o VLT de Cuiabá não ficou a tempo para Copa(como se fosse só para Copa, e não para o Povo) e o VLT de Brasília ficou marcada pela Corrupção do Ex-governador Arruda.
O que ajuda a esses Busólogos(tenho muita bronca com esses grupinhos, antes admirava eles)que são defensores do BRTs, Políticos que só estão preocupados com seus mandatos de 4 anos, Industrias de pneus, ônibus e combustíveis. É o porque o BRT de Curitiba é um Sucesso(ohhhh! Que legal!!!!) e que os VLTs não deu Certo em Campinas e o de Cuiabá não ficou pronto pra Copa.
Ou seja Sinferp! Temos que volta a limpar a imagem do VLT. Nos defendendo aqui, e o nosso Amigo Peter Alouche dando várias palestras, não vai adiantar!!
O que temos que esperar, que o VLT de Cuiabá, Santos e Rio de Janieiro. Fique pronto logo, para dar exemplo nacional, e parem com aquele frescura que só o BRT e Curitiba é um grande sucesso.

Abraços a todos amigos aqui!!!

SINFERP disse...

Enquanto o primeiro não estiver circulando, e torcendo para que o projeto seja bem desenhado e executado, e tudo continuará nesse jogo das especulações, principalmente da turma do contra. Torcemos muito pelo do Rio de Janeiro, pelo poder de vitrine que tem para o restante do país.

Anônimo disse...

Você tem razão "Paulo Lima"!. A quadrilha do "Lobby" ônibus, tem resistido a inovações no setor "transporte público eficiente. Não é de admirar que a opção pelo transporte particular e individual tem crescido assustadoramente!. Verdade que o "governo do PT" na pessoa do Sr Luis Inácio da Silva (Lula), incentivou esta legião de brasileiros sonhadores a este sonho que se transformou no caos!
Como você Paulo, eu também defendo o VLT - "Bonde Moderno!. Aqui em Curitiba ao invés destes monstros biarticulados, teríamos na década de 80 estes veículos transitando sobre trilhos, todavia a ignorância da população e a falta de vontade do governo federal da época , não saiu do papel. Na Europa em todos os países e em todas as principais cidades, estes veículos são usados com supremacia e eficiência; só no Brasil a coisa não dá certo!!!. Somos de vanguarda e rejeitamos tudo o que é racional.... Enfim Paulo, os "VLTs" são excepcionais e só não sabem os que usam a "internet" para ver e pagar mico!. Viva e que venham os bondes (VLTS! Fora os "BRTS" (ônibus)!