quarta-feira, 16 de julho de 2014

SP: Metrô também é cultura!

Acostumados a ligar o Metrô com problemas de lotação e lentidão, os paulistanos têm pelo menos um bom motivo para andar de transporte público até o final de julho. A Linha da Cultura leva arte para as estações de São Paulo por meio de exposições e mostras fixas. Todas ficam em cartaz até 31 de julho.

O "É Grátis" preparou um roteiro que passa por três linhas da capital para você colocar um pouco de arte no seu dia corrido:

O roteiro começa na Estação Santana, na linha 1-Azul, pela facilidade de chegar tanto por metrô quanto pelo terminal de ônibus. No mesmo lugar, já temos a primeira exposição.

Estação Santana. Realizada pela Galeria Mali Villas-Bôas e pelo Metrô de São Paulo, a exposição "A Cidade é um Circo", da artista Ana Rocha, busca mostrar a cidade de São Paulo de forma descontraída, com uma grande variedade de pessoas demonstrando alegria dentro do seu cotidiano.

Continuando o roteiro, na mesma linha 1-Azul, siga na direção Jabaquara. Desembarque na Estação Tiradentes.

Estação Tiradentes.  A mostra "Cores e Traços de Origem" da artista plástica Thaís Medeiros é inspirada nos índios brasileiros. Por meio das obras, Thaís apresenta a sua visão sobre a rica cultura, linguagem e cantos dos indígenas. A artista instiga o visitante a refletir sobre suas próprias origens.

Siga em direção Jabaquara. Desta vez, você vai descer na São Bento, onde duas exposições aguardam a sua visita.

Estação São Bento. Retratando com cores fortes as floras e faunas brasileiras, as obras de Flávio Monteiro estão expostas na "Exobrasilvestre". Com inspiração na natureza, Flávio pinta araras, corujas, tucanos e borboletas, levando o melhor da cultura brasileira para a arte de tinta acrílica. Na mesma estação, a obra "Land Art ou Onde Podemos Construir Montanhas", de Daniel Caballero, transforma lixo em arte. A instalação foi feita com destroços de lixo, desenhos e esculturas. A ideia é mostrar que é possível reaproveitar objetos para proveito do ser humano por meio da preservação.

Em seguida, desembarque na Estação Liberdade.

Estação Liberdade.  Entre as cinco mostras fixas no metrô de São Paulo, a "Vitrine de Ikebana" é um dos destaques. A exposição possui arranjos florais da arte milenar japonesa e conta com trabalhos constantemente renovados. A estrutura do arranjo floral japonês é baseada em três pontos principais, simbolizando o céu, a terra e a humanidade.

Agora, desembarque na estação Paraíso. Você precisa fazer uma baldeação até a linha 2-Verde. Nela, siga em direção à Estação Vila Madalena.

Estação Vila Madalena. Juntando objetos do cotidiano com muita criatividade, as obras da "Arte do Cotidiano", de Victor Nunes, estão em exposição. O material de Victor vai da espuma de café aos biscoitos, pipocas e até moedas. Para o artista, o cotidiano é muito mais divertido se visto com bom humor.

Siga na direção Vila Prudente e desembarque na Estação Trianon-Masp.

Estação Trianon-Masp. Obra da artista Laura Gorski, "Passagem" é um resultado de observação e estudo da astista nos espaços de circulação do metrô. Uma vitrine convida os passageiros a observarem com atenção os caminhos cotidianos e relacionarem o espaço com o acesso a outro lugar. Na mesma estação, "Die Fliegen (As Moscas)", da artista Alexandra Ungern-Stenberg, apresenta tipos do inseto em bandejas de isopor. A obra serve como alerta para o desperdício e o grande consumo do tipo de embalagem que pode ser reciclada se descartada corretamente.

Agora a viagem é um pouco mais longa. Da Trianon-Masp, siga em direção Vila Prudente até a Estação Paraíso para fazer baldeação até a linha 1-Azul novamente. Nela, siga em direção Tucuruvi e desça na Sé. Faça mais uma baldeação até a linha 3-Vermelha. Siga em direção Palmeiras-Barra Funda e desembarque na República.

Estação República. Na mostra "Diversidade Futebol Clube - No Nosso Time Joga Todo Mundo", o Museu da Diversidade Sexual discute a homofobia e o machismo dentro de campo e nas torcidas. O tema ainda é visto como tabu no esporte e, com a mostra, espera-se aumentar o combate à discriminação.

Siga novamente na direção Palmeiras-Barra Funda. Desembarque na Estação Santa Cecília. 

Estação Santa Cecília. Na mostra "O homem e a bola (planeta)", o artista Gontran Guanaes Netto faz uma analogia entre o caráter universal do futebol e o globo terrestre.

E assim termina o guia cultural pelo Metrô da cidade. São Paulo possui tanta cultura espalhada que você pode conferir dez exposições em um dia e sem pagar nada por isso (ou melhor: pagando apenas os bilhetes de metrô).

Dia e horário. Para começar, a ideia é fazer o roteiro em horários tranquilos. Sim, eu sei, você nunca vai encontrar o trem completamente vazio, mas é bom evitar o horário de pico.

Conhecer uma exposição na Sé pode ser divertido, mas você não quer fazer isso às 18h, não é? Isso pode traumatizar algumas pessoas pelo grande fluxo de passageiros. Portanto, aproveite para ir após o horário do almoço e procure voltar antes das 17h, quando o número de passageiros começa a aumentar. Assim, você pode curtir as mostras e não fica com dor de cabeça na volta pra casa. De qualquer jeito, você já está no metrô - então relaxe e aproveite.


O Estado de São Paulo – 16/07/2014

Nenhum comentário: