segunda-feira, 14 de julho de 2014

Prefeitura de Campo Grande (MT) organiza festa do centenário da ferrovia

A Comissão organizadora do evento os 100 anos da estrada de ferro Noroeste do Brasil (NOB) e 100 anos da imigração japonesa em Campo Grande se reuniu novamente com o prefeito Gilmar Olarte (PP) para dar andamento ao projeto que irá movimentar a cidade no período de 7 a 17 de agosto. O Município garantiu apoio aos eventos, por meio de suas secretarias tais como a Sedesc, Fundac, dentre outras.
O encontro, realizado ontem, serviu para que os representantes das entidades envolvidas e a Prefeitura definissem desde a estrutura disponível para os dez dias de evento e também a programação. O prefeito determinou de imediato que as decisões sejam encaminhadas para as respectivas secretarias e autarquias, a fim de acelerar o processo para a organização da Festa do Centenário da Ferrovia e da Imigração Japonesa, que será aberta no dia 7 de agosto, com a 9ª edição do Festival do Sobá, na Feira Central. O evento irá integrar um pouco da história, cultura e negócios da Capital.
Uma comitiva de Okinawa virá para Campo Grande participar do evento e 17 prefeitos do Japão serão recebidos pelo prefeito Gilmar Olarte. A festividade do centenário da ferrovia e da imigração japonesa em Campo Grande contará com a participação das seguintes entidades: Afecetur, Iphan, Fundtur, FCMS, Associação Okinawa, Associação Nipo Brasileira, Associação Campo-grandense de Beisebol, Associação Luso Brasileira, Associação Sírio Libanesa, Associação de ex-ferroviários, entre outras.
A programação prevê apresentação de shows culturais, exposições (kimono, ikebana, bonsai, origami e cultura popular japonesa), espaço multicultural, amostras, Exposição “100 anos da estrada de Ferro Noroeste do Brasil”, Cerimônia do Chá, Espaço Cozinha Show, dentre outros.
Ferrovia

A ferrovia colocou Campo Grande no mapa nacional. O contrato assinado na época permitiu à Noroeste do Brasil estruturar a área urbana, planejando o centro urbano e casas comerciais, além das sedes de órgãos públicos. A ferrovia provocou o afluxo de imigrantes e migrantes, o que permitiu o intercâmbio e a renovação de idéias. A ferrovia favoreceu a transferência do eixo econômico de Cuiabá e Corumbá para Campo Grande e São Paulo. A ferrovia é um símbolo de desenvolvimento que estimula e fomenta novas ideias para os próximos 100 anos. 


Correio do Estado – 14/07/2014

Nenhum comentário: