sexta-feira, 4 de julho de 2014

Morro da Providência (RJ) ganha teleférico

Os moradores do Morro da Providência viveram uma manhã muito especial ontem (2/07), com a inauguração do teleférico que liga a Praça Américo Brum, no alto do morro, à Central do Brasil e a Gamboa.
Com a capacidade de percorrer 721m em aproximadamente cinco minutos, o teleférico vai oferecer conforto e acessibilidade aos moradores da comunidade, que não vão pagar nada pelo serviço.
Nos próximos dois meses, o serviço do teleférico da Providência funcionará em horário e condições especiais de teste e treinamento de pessoal. Durante esta fase, moradores farão a travessia mediante distribuição de senha nos balcões de informações. Também nesta quarta-feira foram entregues à comunidade a Clínica da Família, instalada na Estação Gamboa do teleférico, a Casa Rio Digital e uma Academia da Terceira Idade.
Uma iniciativa da Secretaria Municipal de Habitação, por meio do Programa Morar Carioca, o teleférico foi construído para atender aos moradores da mais antiga comunidade do Rio, que vivem em um dos morros mais íngremes da cidade. Estações e gôndolas foram adaptadas para portadores de necessidades especiais. Para isso, foram investidos R$ 75 milhões na construção das estações, montagem das torres, remanejamento da rede de energia e implantação de vias de serviço. Composto por 16 gôndolas e capacidade para transportar três mil pessoas por hora, o teleférico será inicialmente operado com transporte de mil pessoas por hora. Confeccionadas em acrílico e alumínio com assentos de madeira, as cabines comportam oito passageiros sentados e dois em pé.
Em seu discurso, o prefeito Eduardo Paes afirmou que a entrega do teleférico para os moradores do Morro da Providência representa uma das intervenções mais "simbólicas" da cidade:
 - Trata-se de uma comunidade que nos orgulha muito, pois foi a primeira a surgir na cidade do Rio de Janeiro. Foi neste local que a história da nossa cidade começou a ser desenhada. Além disso, trata-se de uma iniciativa que se complementa com o processo de revitalização da Região Portuária do Rio. Podemos dizer que o Centro é o grande núcleo desse processo de mobilidade que estamos implantando na cidade. Teremos nessa região o BRT Transbrasil passando ao lado do Morro da Providência, assim como o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), que passará pela frente da comunidade - disse o prefeito, acompanhado do secretário municipal de Habitação, Pierre Batista, e do presidente da Cdurp (Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro), Alberto Silva. Este último afirmou que a iniciativa valorizará, ainda mais, a comunidade.
Também presente à cerimônia de inauguração, o governador Luiz Fernando Pezão destacou as ações da Prefeitura do Rio no Morro da Providência e afirmou que o governo municipal está "levando cidadania" para seus moradores:
 - Além deste presente maravilhoso, que é o teleférico, a comunidade está recebendo uma clínica muito bem equipada e um polo de inclusão digital. Ou seja, ganham os moradores do Morro da Providência e, também, todos aqueles que vivem nessa região, além dos turistas que estão na cidade por conta da Copa do Mundo.
 Entre os moradores mais entusiasmados com a inauguração do teleférico estavam a dona de casa Elenir Rosa do Nascimento, de 30 anos. Mãe de oito filhos, ela afirmou que, a partir de agora, sua família poderá transitar pela comunidade com conforto e segurança.
 - O teleférico trará um benefício enorme para mim, pois tenho muitos filhos, e para os demais moradores da comunidade. A partir de agora, Não precisaremos mais subir e descer pela escadaria, que é muito cansativa.
É importante destacar que as gôndolas do teleférico estampam desenhos de alunos do 5ºano da Escola Municipal Francisco Benjamin Galloti, em sua maioria moradores do Morro da Providência, que participaram de oficina de desenhos em junho. As 67 ilustrações deram origem à exposição "A Região Portuária que eu gosto", que pode ser visitada nas três estações. Jovens moradores da comunidade estudantes da Escola Padre Doutor Francisco da Motta participaram da confecção do painel em azulejaria "A Árvore da Providência", sobre Direitos Humanos. Além disso, as crianças da comunidade também participaram do plantio de 1.630 mudas de plantas com o apoio dos projetos Providência Sustentável e Agricultura é Cultura, iniciativas patrocinadas pela Prefeitura do Rio por meio do Prêmio Porto Maravilha Cultural, parceria entre Cdurp e Secretaria Municipal de Cultura.
 A implantação do sistema se dará em três fases com horários especiais. Na primeira etapa, a operação será das 9h às 11h. Na segunda, das 14h às 16h. Nos dois casos, o funcionamento será de segunda a sexta-feira. Na terceira fase, durante os dias da semana, o teleférico abre das 8h às 12h e das 14h às 20h. Aos sábados, das 9h às 15h. Quando estiver em pleno funcionamento o sistema vai operar das 6h às 21h de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h aos sábados e das 9h às 18h nos domingos e feriados. As estações são as seguintes: Central do Brasil (Praça Cristiano Otoni, ao lado da Estação Central do Brasil, fazendo conexão com trens, metrô e ônibus); Gamboa (esquina das ruas Rivadávia Correia e da Gamboa) e Américo Brum (alto do Morro da Providência). Vale destacar que as estações e gôndolas foram adaptadas para portadores de necessidades especiais, que receberão suporte de operadores, auxiliares e vigilantes.
 As inaugurações desta quarta-feira também contaram com as presenças dos secretários municipais de Saúde, Hans Dohmann; de Ciência e Tecnologia, Franklin Coelho; de Conservação e Serviços Públicos, Marcus Belchior; e do coordenador das ações da prefeitura nas áreas pacificadas, Pedro Veiga, do Instituto Pereira Passos (IPP).

 Diário Democrático – 03/07/2014

4 comentários:

Paulo Lima disse...

E que as próximas inaugurações seja o Bonde de Santa Teresa, e o VLT do Porto Maravilha. Vamos esperar sentados.... Pelo menos estamos na torcida.

SINFERP disse...

O bonde deve sair. A saber se atendendo as exigências dos zelosos moradores de Santa Teresa, pois já foram enganados com a última "recuperação".

Paulo Lima disse...

Sim, as suas axigências fora pelo NÃO Bonde Moderno(um Mini VLT curto) e que os mesmo Bondes de formas antigas continuasse(eu entendo que eles estão certos de preservar a histporia, mais deveria fazer igual Lisboa fez, continuar com os Bondes antigos e também por junto os VLTs. Isso também seria interessante para Santa Tereza). E outra,eles são contra o VLT no Bairro, mais eles esqueceram que os Novos Bondes sendo fabricados, tem a tecnologia de VLT rsrsrrss(estava vendo as fotos deles sendo fabricados), igual você por um motor de Honda Civic numa Brasília rsrsrsr.
Ao menos os Moradores deveriam discutir uma ideia, para que o Bonde vá até próximo ao Porto Maravilha ou no Centro do Rio, para integrar com o VLT. Ou então, o VLT segue até próximo a Santa Teresa, até chegar na 1º Estação dos Bondes. Seria uma ideia, alimentaria mais o Turismo, e ajudaria muito na melhoria no transporte até para os Moradores, se quiserem ir direto do Bairro de Santa Teresa e descer o Porto Maravilha.

SINFERP disse...

Uma coisa puxa a outra. Com a volta do bonde de Santa Teresa e o VLT, trilhos passam a ter torcida.