sexta-feira, 6 de junho de 2014

Robson Marinho pede licença do Tribunal de Contas

Ilhado na corte de contas paulista, o ex-chefe da Casa Civil de Mário Covas tira alguns dias de folga enquanto Justiça analisa pedido de afastamento apresentado pelo Ministério Público.

Investigado pelo Ministério Público de São Paulo e pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ), o conselheiro Robson Marinho optou pelo benefício da licença-prêmio e ficará afastado do cargo por sete dias. A saída oportuna se dá em um momento de enorme pressão para Marinho, alvo de uma série de reportagens baseadas em documentos enviados pela Justiça suíça e que mostram sua movimentação financeira em bancos daquele país.
Robson Marinho é suspeito de ter recebido cerca de 2,7 milhões de dólares provenientes de propina paga pela multinacional francesa Alstom. Em seu nome estão bloqueados 3 milhões de dólares, que segundo os investigadores brasileiros, podem ter como origem o favorecimento de Marinho em uma decisão referente a contrato da área de energia do governo de São Paulo com a Alstom.
Além da fortuna no exterior, os promotores paulistas encontraram vários imóveis em nome de Marinho aqui no Brasil. Entre eles, uma ilha em Paraty, uma mansão de 7 milhões em Ubatuba, outra no Morumbi e um terreno de 20 mil metros quadrados concedido por usucapião pela Justiça paulista.
Carta Capital – 04/06/2014

Nenhum comentário: