terça-feira, 3 de junho de 2014

Prefeitura promete solução em áreas do VLT de Campinas até o fim do ano: retirar trilhos para passagem dos pneus.

VLT de Campinas nos anos 90
Administração estuda alternativas para usar rota para o transporte coletivo. Extinto do Veículo Leve sobre Trilhos operou na cidade entre 1990 e 1995.

A Prefeitura de Campinas  (SP) prometeu uma solução para a estrutura da linha férrea do extinto Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) até o fim deste ano. O secretário municipal de Administração, Silvio Bernardin, garante que a administração estuda alternativas para usar a rota como opção para o transporte público coletivo da cidade, como o BRT, mas não deu uma data específica para a conclusão dos projetos.

Ao todo, são oito quilômetros de trilhos desativados 1995. Em quase 20 anos, o entorno acumulou sujeira e mato, que se tornaram alvo de reclamação de moradores e esconderijo para o tráfico de drogas. Em abril deste ano, a equipe da EPTV, afiliada da TV Globo, flagrou falta de limpeza e fiscalização do poder público, além do descaso da população, na área do antigo VLT, no Jardim Campos Elíseos. Há um mês e meio, a Secretaria de Serviços Públicos iniciou limpeza nos trilhos e já retirou 4 mil toneladas de lixo e entulho de três quilômetros da extensão total da linha.

Ainda existe uma dúvida em relação ao destino da estrutura férrea existente e bastante degradada, além das estações desativadas. "Quase 90% da estrutura que não servem mais para nada. É tudo obsoleto. Nós estamos avaliando as possibilidades [de destino do que for retirado], mas nós precisamos de autorização do material que está no local, já que existe uma discussão sobre a titularidade da área", afirma Bernardin.  Segundo o secretário, definição sobre o que poderá ser aproveitado, e o que será descartado, deve sair até o fim dessa semana.

A Prefeitura já está fazendo uma limpeza geral, mas também trabalha com outras alternativas para o uso do espaço. "Existem outras situações que têm aquela área como protagonista. Os corredores de ônibus do BRT estão em fase final de projeto pela empresa contratada pela Emdec, que vai usar a antiga rota da linha de trem para o percurso", explica. De acordo com a Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), projeto básico do BRT está concluído e em cerca de 30 dias será aberto o processo licitatório para o projeto executivo e obras.

A administração também pretende contratar um estudo de viabilidade para um sistema de transportes sobre trilhos que ligaria o Aeroporto Internacional de Viracopos ao Centro da cidade. "O produto desse estudo possivelmente vai indicar algumas rotas e dizer se ainda há condições de usar parte da estrutura do VLT", completa Silvio Bernardin. O secretário garante que, com essas intervenções, a situação na área do extinto Veículo Leve sobre Trilhos deve passar por uma transformação e melhorias.

Operação do VLT

O Veículo Leve Sobre Trilhos foi uma tentativa de transporte sobre trilhos em Campinas, que teve obras iniciadas em 1990, mas cinco anos depois foi desativado. A linha usou o antigo leito da estrada de ferro Sorocaba. Em novembro de 1990, o trecho entre as estações Barão de Itapura e Aurélia começou a operar. No ano seguinte, foram inauguradas as estações Central, Vila Teixeira e Campos Elíseos. Essas paradas faziam parte da linha Sul, do projeto, que tem 7,9 quilômetros de extensão.

G1 – 02/06/2014

Comentários do SINFERP


Mais uma vez vão-se os trilhos, e chegam os pneus.

Nenhum comentário: