terça-feira, 13 de maio de 2014

Relatório do COAF mostra as cinco contas de ex-diretor da CPTM na Suíça

Ademir Venâncio de Araújo é investigado por ligação com cartel metroferroviário. 

Relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF) confirma os números de 5 contas na Suíça - e as instituições financeiras nas quais elas estão alojadas -, do engenheiro Ademir Venâncio de Araújo, ex-diretor da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). 

Venâncio é alvo da investigação do Ministério Público sobre o cartel metroferroviário que teria atuado em São Paulo e no Distrito Federal entre 1998 e 2008. Depoimentos apontam sua "efetiva participação" no conluio liderado pela Alstom, multinacional francesa.

O COAF, autoridade de inteligência financeira do Brasil, comunicou no dia 14 de abril de 2014 que o Ministério Público da Confederação suíça iniciou no mês de janeiro de 2014 uma investigação e bloqueou as contas bancárias relacionadas a Ademir Venâncio de Araújo e sua mulher, Sumaia Maria Macedo de Araújo - veja abaixo o quadro com os números das contas, três delas em Zurique.

Ele integrou os quadros de direção da CPTM na mesma época em que outro investigado, João Roberto Zaniboni, ocupou o cargo de diretor de Engenharia da estatal de transportes de massa. Zaniboni também está na mira do Ministério Público de São Paulo - em uma conta dele, na Suíça, os investigadores descobriram US$ 826 mil.

Após deixar o cargo que exercia na CPTM, Ademir Venâncio constituiu a sociedade Focco Tecnologia e Engenharia Ltda, antiga AVA Engenharia e Consultoria Ltda, que recebeu R$ 2.095.921,58 da Alstom, uma das principais beneficiadas no contrato da Linha 5 do Metrô de São Paulo.

Uma conta atribuída a Venâncio tem o nome fantasia Badminton Investment Ltda, em alusão ao  jogo de peteca popular no Reino Unido desde a Idade Média.

O relatório COAF é amparado em rastreamento do Ministério Público da Confederação suíça. Os procuradores suíços descobriram valores que podem superar US$ 1 milhão nas contas de Venâncio.

O advogado Luiz Fernando Pacheco, que defende Ademir Venâncio, declarou que não tem conhecimento oficial de nenhum documento sobre contas do ex-diretor da CPTM na Suíça. "Não temos conhecimento de documento desse tipo nem no COAF, nem no Ministério Público, nem na Suíça", afirmou Pacheco.

"Ademir Venâncio de Araújo afirma que não mantém, nem nunca manteve contato no exterior", disse o advogado. "Eu reafirmo: desconheço esse documento (do COAF) e Ademir Venâncio mantém a informação de que não tem conta na Suíça."


MSN – Fausto Macedo - 13/05/2014

Nenhum comentário: