quinta-feira, 29 de maio de 2014

Novos trens da Trensurb (RS) duplicarão capacidade de transporte nos horários de pico

foto Ronaldo Bernardi
Estacionados no começo da manhã desta quinta-feira no pátio da Trensurb, os quatro módulos que, conectados, formam o primeiro dos 15 novos trens da empresa representam mais do que um investimento no setor de transportes: são um alento aos cerca de 200 mil usuários diários do serviço. Com previsão de entrar em funcionamento a partir de outubro, o reforço na frota permitirá à companhia duplicar a capacidade de passageiros durante os horários de pico — rotineiramente, no início da manhã e final da tarde.

Segundo o diretor-presidente da Trensurb, Humberto Kasper, quatro novos vagões serão acoplados a outros quatro módulos nos intervalos de movimento mais intenso, totalizando uma composição de dois trens em circulação. Esta é a primeira compra de veículos pela empresa desde o início da operação no Rio Grande Sul, há 30 anos.
— Os novos trens darão mais conforto ao usuário e ampliarão a capacidade de oferta de locomoção. Assim, conseguiremos colocar trens acoplados para circular nos horários de pico, largando a viagem com o total de oito carros. Certamente, os usuários irão sentir a diferença de imediato — aponta Kasper.

Entre as 6h55min e 7h55min — o intervalo com maior fluxo de passageiros —,13,4 mil pessoas se deslocam pelos trens em direção a Porto Alegre por dia. Mais modernos que os atuais, o veículo recém chegado e os outros 14 que estão a caminho contam com sistema de ar condicionado, painéis com mapa dinâmico da linha, sistema de comunicação multimídia e iluminação interna com LED — além de gastarem cerca de 30% menos de energia.

Na estrada há seis dias, o novo trem foi transportado em quatro caminhões de 34 metros de comprimento por 3,6 de largura vindos de São Paulo. A chegada do veículo é apenas a primeira fase de uma série de etapas até que os módulos ganhem os trilhos.

No pátio da empresa, no bairro Humaitá, em Porto Alegre, os carros serão içados para que as estruturas sejam acopladas. Depois de conectadas, começam os chamados testes estáticos dentro da oficina - nos quais será verificado o sistema elétrico, por exemplo. Somente após a conclusão desta fase, que deve se estender por duas semanas, técnicos da Trensurb farão, durante dois meses, os testes dinâmicos: avaliações de tração, frenagem, sinalização e segurança. Posteriormente, o trem será experimentados nos trilhos, em um trecho de Novo Hamburgo, sem passageiros e em horário que o serviço não esteja em funcionamento.
O segundo novo veículo deve chegar ao Estado já em duas semanas, quando os dois trens serão acoplados e monitorados. Somente com a conclusão do processo, os operadores passam por treinamento para operar os carros. Com a experiência dos primeiros veículos, o período de testes dos demais deve ser mais curto e, até fevereiro de 2015, todos já devem estar aptos para circular.
Somados aos 25 em operação desde o lançamento da operação da Trensurb, a empresa totalizará uma frota de 40 trens até 2015. Kasper explica que, com a reserva de veículos, será possível trabalhar na melhoria dos vagões antigos.
— Teremos uma folga para, no futuro, começarmos a fazer a reforma dos trens antigos e instalar neles as mesmas tecnologias e conforto que os novos já possuem. Os trens têm uma estrutura básica padrão com vida útil mínima de 30 anos sem reformas. Apenas com revisões gerais e manutenções, eles aguentariam mais uns 20 anos circulando — afirma o diretor-presidente.
Ao custo de R$ 14,7 milhões por trem, as composições foram adquiridas por meio do consórcio FrotaPoa, composto pelas empresas Alstom, da França, e Caf, da Espanha — citadas no suposto cartel do metrô em São Paulo. A suspeita de cartel na compra dos trens pela Trensurb também é investigada em um processo administrativo pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Trensurb em números e datas

— 25 trens compõe a frota atual da Trensurb
— 15 novos trens foram comprados por meio de licitação 
— 208 mil pessoas, conforme a média do mês de abril, são transportadas em dias úteis pelo serviço
— 13,4 mil passageiros circulam no horário de maior movimento (entre as 6h55min e as 7h55min)
— R$ 220,5 milhões é o valor total da compra das novas composições
— Em 1984 chegaram os primeiros trens da empresa e, desde então, não haviam sido feitas novas aquisições
— Em outubro de 2014 deve começar a operação dos novos carros
— Janeiro de 2015 é a data prevista para que todos os novos vagões tenham sido entregues


Zero Hora – Débora Ely - 29/05/2014

Nenhum comentário: