quarta-feira, 28 de maio de 2014

Metrô de Teresina (PI) para após descarrilamento e deixa de atender 7 mil durante greve

foto Irina Coelho
Transporte fez somente a primeira viagem nesta segunda-feira e parou. Segundo diretor técnico, problema deve ser resolvido ainda nesta manhã.

Mais um caos para quem depende do transporte público em Teresina. Além da greve dos rodoviários, o metrô da capital parou de funcionar por volta das 7h desta segunda-feira (26) e prejudicou cerca de sete mil pessoas somente nesta manhã.

Segundo o diretor técnico da Companhia Metropolitana de Transporte Público (CMTP), Antônio Sobral, o problema aconteceu após descarrilamento de um trem cargueiro da Transnordestina próximo à Avenida Boa Esperança, Zona Sudeste de Teresina. "Ainda conseguimos realizar a primeira viagem às 6h40 para o Centro, mas o trem com material inflamável descarrilou minutos depois e o metrô não pôde mais voltar por conta disso", declarou.

O representante da CMTP informou que técnicos estão no local trabalhando para liberar a linha, mas o funcionamento deve ser retomado somente às 11h.

Diariamente pelo menos 15 mil pessoas usam o metrô, no entanto com a greve dos rodoviários o número de viagens deste transporte aumentou em 30%. São 20 viagens diárias para atender usuários de 13 bairros da Zona Sudeste de Teresina, que corresponde a 13 Km de percurso.

A greve dos rodoviários em Teresina entrou no quarto dia e a categoria ainda não entrou em acordo com os empresários.


G1 – Catarina Costa -  26/05/2014

2 comentários:

Paulo Lima disse...

Esse Metrô de Teresina, sempre obsevei algo técnico interessante sobre os Trens. Esses metrôs são movidos a diesel e são antigos trens Húngaros que foram reformados e modernizados(transformando até sua estética). Não sei se estou completamente informado, dizem que um desses trens húngaros já rodou na década de 70 até final dos anos 80 no Estado de São Paulo, fazendo o trajeto entre Campinas-São Paulo. Onde a FEPASA tinha um serviço de trens-regionais expresso entre Campinas-Sao Paulo (as vezes dependendo da Escala-Horaria, com parada em Jundiaí). Ou seja, usavam esses veículos exclusivos só para rota Campinas-Jundiaí-Sao Paulo. Apesar que na mesma ápoca a FEPASA também usava nesses trajetos de grande demanda os trens, como por exemplo as Litorinas Elétricas (já cheguei até ver os videos, e quase chorei de tristeza e raiva como pode o governo tedo acabado com tudo que tínhamos de valioso. Agora esses DESRAÇADOS (os mesmos que botaram fim na FEPASA) ficam anunciando Trens Regionais, como? Já tivemos Trens-Regionais no passado não tão distante).
Sobre o Metrô de Teresina, o outro erro que vejo, é que a Linha não é Duplicada, é de linha única. Isso acaba fugindo do Padrâo Metrô, e vejo nada mais que só um trem Suburbano simples. Imagina quando sobrecarregar o sistema pela Cidade que vem crescendo? Fizeram até correto de talvez tido reaproveitado a antiga Ferrovia, só que o governo deveria investir mais na duplicação das bitolas.
Também, em Teresina. O Prefeito da Cidade esteve uma vez(foi 2 anos atras) em Sobral(CE) para visitar as obras da Implantação do "Bonde Moderno"(VLT), pela ideia também de implantar na Capital do Piauí. Depois disso nao se falou mais nada até hoje. E como sempre, já tem outros "xiando" contra o VLT na Cidade e dando que ideia que implante o BRT na Cidade. Sempre, vai existir alguem que vai ser contra o VLT, e sugerindo o BRT (absurdo).

Um abraços a todos Amigos do Blog e ao pessoal do Sinferp.

SINFERP disse...

Trens húngaros rodaram, também, no Rio Grande do Sul. O problema não são os trens, mas a prática de encostá-los por serem velhos, etc., e nada por no lugar deles. Quando põem, é para faturar mesmo. Aproveitam e mudam todo o sistema, etc. "Picaram" os trens da série 5000 da CPTM. Pois bem: é o único para o qual a empresa tem em seus almoxarifados imenso estoque de peças, novas, e que agora serão vendidas como sucata.