segunda-feira, 26 de maio de 2014

Choque de trens na Índia deixa pelo menos 40 mortos e mais de 150 feridos

Narendra Modi toma posse hoje como primeiro-ministro. Reforma do sistema ferroviário foi uma de suas promessas de campanha.
Um trem de passageiros colidiu nesta segunda-feira com uma composição que transportava mercadorias e estava parada numa estação, no mais populoso Estado da Índia, matando pelo menos 40 pessoas e deixando mais de 150 feridos, segundo a polícia e funcionários da ferrovia. Vagões de passageiros foram lançados para cima do outro trem e muitas pessoas ficaram presas nas ferragens na estação de Churaib, no distrito de Sant Kabir Nagar, em Uttar Pradesh, norte da Índia, disse um porta-voz da polícia na capital estadual, Lucknow.
O trem saiu de Hisar, no estado de Haryana, com destino a Godajdham, no vizinho Uttar Pradesh. O acidente aconteceu em Jalilabad, a 700 quilômetros ao leste de Nova Délhi. O balanço de vítimas pode aumentar, segundo informou uma fonte da empresa Indian Railways. "Tentamos determinar o número exato de vítimas. Sabemos que seis vagões descarrilaram depois da colisão e que pelo menos 40 pessoas morreram", disse a fonte, que pediu anonimato.

A rede ferroviária indiana, uma das maiores do mundo, tem graves deficiências de segurança, mas continua sendo o principal meio de transporte para percorrer grandes distâncias no país, apesar da concorrência das companhias aéreas. A colisão em Jalilabad é a mais recente na envelhecida infraestrutura da Índia. Narendra Modi, que nesta segunda-feira deve assumir o cargo de primeiro-ministro do país, disse que cuidar das ferrovias será uma de suas prioridades. Modi enviou pêsames às famílias das vítimas com uma mensagem no Twitter.

A Índia opera 9.000 trens de passageiros e transporta cerca de 18 milhões de pessoas todos os dias. Houve inúmeros acidentes ferroviários nos últimos anos, matando centenas de pessoas. Em dezembro, 26 pessoas morreram em um incêndio que tomou conta de uma composição do Nanded-Bangalore Express enquanto ele estava viajando pelo sul do estado de Andhra Pradesh.  Em agosto, 28 pessoas foram mortas após serem atingidas por um trem expresso enquanto tentavam fazer uma travessia em um local proibido para pedestres, no estado de Bihar.


Veja – 26/05/2014

2 comentários:

alex sandro disse...

meus deus, como a supervia e a cptm se espalharam rapido pelo mundo

SINFERP disse...

Rsrsrs Talvez tenham copiado o modelo indiano, que sabidamente é caótico.