quinta-feira, 1 de maio de 2014

Campinas (SP) tem aval e licitará estudo sobre corredor do Centro a Viracopos

Empresa contratada terá de apontar valor da obra, traçado e tipo de modal. De acordo com a Prefeitura, construção de VLT ou monotrilho são opções.

O Ministério das Cidades autorizou, nesta terça-feira (22), a Prefeitura de Campinas (SP) a comprar um estudo para avaliar a viabilidade de um corredor de transporte entre o Centro da cidade e o Aeroporto Internacional de Viracopos. Segundo o secretário municipal de Administração, Silvio Bernardin, a verba a ser liberada pelo governo federal é de R$ 1,5 milhão e a empresa escolhida para o trabalho será conhecida em cerca de 90 dias.

De acordo com Bernardin, o estudo vai apontar o valor aproximado da obra, o traçado, e qual é o modal de transporte mais adequado, o Veículo Leve Sobre Trilhos (VLT) ou o monotrilho. A Prefeitura trabalha com a estimativa de R$ 1,5 bilhão para a construção e existem "consultas" para viabilizar o montante, afirmou o secretário.

Viabilidade

"A gente acredita que é viável por conta da demanda. Eu não tenho dúvida que o estudo vai ser pela viabilidade, a questão é que ele vai definir qual é o melhor traçado", disse Bernardin, ao citar a expansão de Viracopos para justificar a confiança no projeto. Ainda de acordo com o secretário, atualmente a Prefeitura entende que a melhor opção seria um VLT do aeroporto ao Centro, passando pela região dos DICs.

A empresa vencedora na licitação do estudo terá 180 dias para entregar o material. Segundo o titular da pasta de Administração, para conseguir a verba de R$ 1,5 bilhão das obras serão avaliadas as possibilidades de parceria público-privada, pleitear o montante por meio do PAC da Mobilidade Urbana do governo federal, ou até um financiamento no Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

De acordo com o Ministério das Cidades, a Prefeitura de Campinas terá de entregar documentos técnicos à Caixa Econômica Federal, responsável por liberar a verba. O banco faz a análise e envia um parecer para o governo federal, que autoriza o repasse do dinheiro a ser usado na contratação do estudo.

Expansão de Viracopos

Viracopos passa por fase de expansão e o novo terminal de passageiros, para 14 milhões de passageiros, será inaugurado em junho. Serão 28 pontes de embarque, estacionamento com 4 mil novas vagas para veículos e 35 novas vagas para aeronaves. A iniciativa privada prevê investimento de R$ 2,06 bilhões entre agosto de 2012 e maio de 2014.


G1 – Leandro Fillipi - 23/04/2014

2 comentários:

Paulo Lima disse...

Muito obrigado Sinferp, por publicar essa noticia daqui da minha Cidade. Desculpe até pelo atraso do agradecimento e respostas minhas rsrrsrs... as vezes fico sem tempo para comentar no site.
Sobre o Modal que vai ligar Viracopos ao Centro, antes era contra o monotrilho e só era a favor do VLT, agora Sinferp, analisando bem. Se o Monotrilho ficar viável pelos Estudos, serei também a favor, se pensar que ele não só ligará o Aeroporto ao Centro, ele poderá ir além para Região Norte da Cidade, podendo interligar lugares com grande demanda, como por exemplo o Bairro Parque Taquaral, Shopping Dom Pedro , UNICAMP(onde tem muitos estudantes que vem de outros estados, e um Monotrilho ligando direto Viracopos a Universidade, seria um sucesso na demanda) e Distrito de Barão Geraldo(integrando com o futuro VLT de Barão, onde estamos querendo fazer uma proposta para um possível VLT no Distrito de Campinas). Ou seja, o Monotrilho no meu ver não é o ideal para as Cidades, mais para um Cidade com mais de 1 milhao de habitantes, como Campinas. E vejo que ele pode fazer uma fácil ligação de norte ao sul da Cidade, fugindo de todo transito terrível da Cidade. Apesar que realmente a desapropriação do mesmo é de menor custo , por ser elevado. Pensando bem Sinferp, dessa proposta acabo sim defendo o Monotrilho. O único prolema, e que o Brasil nao tem experiencia nesse modal, e Sao Paulo vai ser tipo uma "cobaia" para testar se o Mootrilho é bom para o Pais ou nao. Apesar que Poços de Caldas(MG) tentou instalar pensando no Turismo na Cidade, e fracassou porque a Empresa que era responsável faliu na década de 90.
E outro problema, e quando o Monotrilho der uma pane, como fica?
Sobre o VLT, aqui na reunião sobre Mobilidade Urbana para Campinas que teve nesse sabado, fiz um proposta para implantação do VLT no Corredor Central na pista interna no Centro de Campinas, seria um projeto que faz parte da Revitalização do Centro de Campinas(igual o Porto Maravilha), e outra linha do VLT para ligar o Centro aos Distritos de Sousas e Joaquim Egídio(reaproveitando a antiga Estrada do Bonde). Ou seja, falei pra eles que nao tenho nada contra o BRT e as Cidades podem também implantar, mais que não só pensem n o BRT, que pense também no VLT integrando com o BRT e ônibus comum . Na Europa funciona assim, os BRTs e VLTs que convivem.
Falei lá, e integrei em mão para o Secretário dos Transportes de Campinas, a minha proposta. E ele gostou, só espero que ele depois nao despreze minha ideia, até ele mesmo me admirou por eu ter conhecimento em transporte sem ser Especialista, só por hobbie mesmo e gostar muito.
Por isso Sinferp, que a nossa missão além de cobrar dos nossos Governantes, é também fazer propostas e dar ideias. Um dia, se Deus permitir, poderei falar para Meus Netos e Filhos, que se caso ele ver aqueles Simpaticos bondinhos Modernos circulando na Area Central da Cidade e não tendo mais tanto transito, falarei que aquilo foi graças a nossa ideia e luta conta os defensores rodoviaristas.

Paulo Lima disse...

PARTE 2 -

E outra, o VLT da Baixada Santista está saindo graças também a luta que foi grande de Voçes da Sinferp e outros Sindicados dos ferroviários, só me resta a agradecer a voces também, pelo VLT de Santos que está saindo do Papel. Porque lá para 2001 e etc, o próprio Governo antes era contra o VLT e queria arrancar todos os trilhos da antiga Sorocabana para dar o lugar do asfalto para Corredores de ônibus, na aquela época foi um absurdo de colocar onibus na antiga linha ferrea, dai começou a nossa luta em favor do VLT. E a nossa luta pelos VLT nas Cidades Brasileiras, não vai parar por aqui não quando os Modais de Cuiabá(MT), Rio de Janeiro e Santos(SP) ficarem prontos. Vamos propor mais VLTs em mais Cidades, como aqui em Campinas, voçes dai de Osasco também, estou sempre em contato com um amigo meu de Manaus(AM), propondo também a mesma ideia para Cidade, e outra ideia também prondo para Recife(PE) e assim vamos espalhando as nossas ideias para o Brasil. Logico que os defensores dos BRTs também vão comprar brigas da agente.

Um abraços Sinferp e toda equipe.