quinta-feira, 15 de maio de 2014

Bonde de Santos (SP) vai receber decoração alusiva à Copa do Mundo

O circuito do bonde no Centro Histórico de Santos terá um veículo a mais no período do Mundial de Futebol no Brasil. A novidade é o Bonde da Copa, que terá decoração diferenciada e motivos alusivos à competição, que começa em 12 de junho. O escolhido para receber os adesivos foi o bonde português de prefixo 224. 

Com isso, a linha turística terá três bondes e dois reboques. A mudança permitirá atender 170 passageiros por hora. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) informa estar preparada para viagens extras e, se preciso, ampliar o horário de funcionamento. 
No inverno passado, entre 10 mil e 11 mil pessoas por mês viajaram na linha. A CET não faz estimativas, mas aposta em mais movimento devido à presença de turistas brasileiros e estrangeiros, como mexicanos, costa-riquenhos e bósnios motivados em visitar o Museu Pelé – com inauguração prevista para 7 de junho e que está no itinerário do passeio. 

Quebra

A CET informou que o descarrilamento do bonde camarão (fechado) ocorrido anteontem, na altura da Rua Vasconcelos Tavares, no Centro, foi causado pela quebra do eixo de uma roda. O veículo precisou ser removido por guincho quando estava na Praça Rui Barbosa. No momento do acidente, havia seis passageiros. Ninguém ficou ferido. Um veículo foi posto na linha, e o serviço, retomado.

Em 14 anos, foi o terceiro registro de ocorrência semelhante com os bondes, cuja velocidade não costuma ultrapassar os 10 km/h. A manutenção é feita por dez funcionários. Segundo a CET, quando os bondes, a maioria com mais de 50 anos, chegam à Cidade, passam por restauração, em que são trocados peças e acessórios antigos por novos. 

Diariamente, na oficina do Valongo, no período da manhã, é realizada a manutenção preventiva dos veículos, que consiste em serviços como verificação dos freios, ajuste de parafusos, troca de óleo e polimento. 

Às segundas-feiras, quando a linha não funciona, os bondes são recolhidos para a execução de trabalhos de manutenção mais complexos, que não podem ser realizados nos dias em que está funcionando.


A Tribuna – 15/04/2014

Nenhum comentário: