quinta-feira, 24 de abril de 2014

Com atraso, Alckmin reinaugura trecho da CPTM com menos estações

Estação Cimenrita
Linha 8-Diamante foi reaberta oficialmente com promessa de construção de mais duas estações que já existiram.

SÃO PAULO - Depois de quase quatro anos de obras e mais de dois anos de atraso, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) reinaugurou oficialmente nesta quarta-feira, 23, o trecho de 6,3 km da extensão operacional da Linha 8-Diamante da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), em Itapevi, na Grande São Paulo, fechado para a reforma em maio de 2010. O ramal, que antes tinha cinco estações, foi reaberto com três: Itapevi, Santa Rita e Amador Bueno.

Durante a cerimônia de descerramento das placas de reinauguração das Estações Santa Rita e Amador Bueno, o tucano prometeu reconstruir as outras duas paradas que existiam nesse trecho antes da revitalização, Ambuitá e Cimenrita, também em Itapevi. Elas não estavam no projeto original de reforma, lançado no governo José Serra, antecessor de Alckmin também filiado ao PSDB. O projeto de Ambuitá já está pronto, garantiu o tucano.
O trecho em questão passa a ser atendido por trens antigos com apenas quatro vagões e sem ar-condicionado, como os novos que operam no restante da Linha 8. Além disso, para que os passageiros de distritos populosos de Itapevi, como Amador Bueno, possam seguir para a região central de São Paulo, onde termina o ramal, têm que fazer baldeação na Estação Itapevi, já que os trilhos não são complementares.
O governo informou ter gasto R$ 83,5 milhões para a modernização, iniciada em 2010. Naquela época, a promessa de entrega do trecho reformado era o fim de 2011, o que não se concretizou. A gestão Alckmin creditou a demora a questionamentos feitos pelo Ministério Público a respeito das passagens de nível (locais em que as pessoas ou carros atravessam os trilhos) desse tramo da Linha 8.
Trenzinho. "Aqui não tem uma demanda para oito carros (vagões), então é um trem com quatro carros", afirmou Alckmin durante coletiva à imprensa na Estação Amador Bueno. E para ar-condicionado, o governador acredita que o trecho tem demanda? "Pode ter. A CPTM fez a reforma, ela mesma, nas suas oficinas", respondeu o tucano, acrescentando que o tipo de composição que atendem o trecho "não é trenzinho, é trem, trem, normal".

O secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, disse que há 3,5 mil passageiros no trecho entre Amador Bueno e Itapevi, um número bem inferior ao do restante da linha. Por isso, a CPTM decidiu cortar os trens antigos, que antes tinham oito vagões, para composições menores, mais adequadas à demanda do local.
"A frequência que temos lá (no resto da Linha 8-Diamante) é de (um trem por sentido de) quatro em quatro minutos na hora do pico, chegando agora a três. Então, (aqui) não há passageiro suficiente para você servir com o mesmo trem que está lá. Cada trem aqui é para mil passageiros, o que é bastante suficiente para dar acesso aos 3,5 mil passageiros por dia. No horário de pico da manhã, por exemplo, dá em torno de 700 passageiros. Um trem cheio levaria todo o pico da manhã", afirmou Fernandes.

Antes da reforma o trecho só tinha uma via, fazendo com que o trem fosse e voltasse pelos mesmos trilhos, impedindo a CPTM de aumentar o seu intervalo. Agora, a oferta será de quatro saídas de trem por hora.
O secretário Fernandes disse ainda que a licitação e as obras começam das Estações Ambuitá e Cimenrita começam no ano que vem. "Não é uma obra tão grande, mas uma estação sempre leva 12 meses." Segundo ele, as duas podem ser entregues em 2016.
Desde o início do mês, o trecho Amador Bueno-Itapevi funcionava em operação assistida, apenas durante uma parte do dia. A partir dessa quinta-feira, 24, o horário será integrado ao restante da operação da CPTM, ou seja, das 4h à meia-noite. Com a reintegração dos 6,3 km da extensão operacional da Linha 8-Diamante, a CPTM passa a contar com 261,3 km de trilhos.

O Estado de São Paulo – Caio do Valle – 23/04/2014

Um comentário:

Anônimo disse...

que critica mais esdruxula do estadao. primeiro que aquele trecho nao tem demanada para tanta gente. segundo que a PPP5000 é para j. prestes - itapevi, nao contempla o trecho de amador bueno. terceiro que os trilhos sao sim complementares.

o que estadao deveria criticar é: porque tanta demora? porque mesmo com 4 anos de atraso, ainda o trecho foi entregue nas coxas com problemas de sinalizaçao e da via permanente horrivel? porque ainda está gratis o trecho, facilitando o embarque de quem só quer bagunçar no trem? porque nao fala da PPP5000 e do favorecimento a CAF?

dá vergonha dessa midia marrom que faz criticas idiotas para dizer que criticou e bancar de imparcial. esse demotucanos nao me enganam.