quarta-feira, 26 de março de 2014

SuperVia é multada em R$ 868 mil por descarrilamento que parou trens no Rio

O descarrilamento de 22 de janeiro prejudicou a circulação de trens em toda a cidade.

A Agetransp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Rio) informou nesta quarta-feira (26) que decidiu multar a SuperVia, concessionária que administra o sistema de trens no Rio de Janeiro, em R$ 868.474,96 pelo descarrilamento que resultou na interrupção do serviço por 13 horas no dia 22 de janeiro.

Números da SuperVia

40% dos 3.260 trens inspecionados não contavam com iluminação completa.
30% de 3.076 trens em operação tinham janelas avariadas.
40% dos trens, entre 5.799 fiscalizados, estavam sujos externamente.
10% de 3.262 trens analisados em uso estavam sujos internamente.
445 trens circularam com as portas abertas, entre 5.790 inspecionados.

Dados de out.2013, divulgados pela Agetransp

O descarrilamento de um trem na estação de São Cristóvão, na zona norte, provocou o colapso total da rede de transportes na capital fluminense, impedindo que milhares de pessoas seguissem para o trabalho.

Durante a interrupção, nenhuma composição chegou à estação ferroviária Central do Brasil, por onde passam diariamente 600 mil pessoas em média. O acidente ocorreu às 5h15, quando um trem descarrilado atingiu a estrutura que sustenta os cabos da rede aérea, interrompendo o fornecimento de energia nos cinco ramais operados pela concessionária Supervia, controlada pela construtora Odebrecht.

O conselho diretor da Agetransp considerou a nota técnica da Catra (Câmara Técnica de Transportes e Rodovias), que apontou como causas da deficiência no atendimento aos usuários a insuficiência de treinamento dos agentes envolvidos, déficit de pessoal nas estações mais afetadas, e gerenciamento inadequado do incidente com relação ao plano de contingência da concessionária.

Outras multas

A Concessionária CCR Barcas foi multada em R$ 367.746,12 no processo que apurou avaria no catamarã Neves 5, ocorrida na manhã do dia 13 de janeiro, próximo à estação Arariboia, em Niterói, logo após iniciar viagem em direção ao Rio de Janeiro, vindo a encalhar ao lado da ponte de atracação do terminal de partida.

Já a concessionária Metrô Rio foi multada em R$ 288.941,38 no processo que apurou desacoplamento mecânico entre dois carros do metrô, ocasionando a paralisação da circulação dos trens da Linha 2, na noite do dia 16 de janeiro, entre as estações de Irajá e Colégio.


Folha Uol – 26/03/2014

Nenhum comentário: